Reprodução

2° onda de coronavírus no Brasil pode ser ocasionada por festas de fim de ano

A tendência é vivermos um novo pico da doença

O Brasil teme 2° onda de COVID-19, na Europa e EUA o aumento no número de óbitos já foi confirmado. Algumas capitais do país perceberam que a demanda de testes e a positividades deles aumentaram.

Caminhando para o final do ano e as festividades em família é possível que essas comemorações ocasione a chegada da 2° onda no Brasil. Na Europa a nova onda chegou juntamente com o verão, quando os jovens começaram a viajar e se reunir com os amigos.

“A segunda onda na Europa foi relacionada ao verão, quando muitas pessoas — especialmente os jovens — viajaram, reuniram-se em bares e descuidaram da proteção.” disse a bióloga Natália Pasternak.

A bióloga ainda afirma que é uma ilusão achar que a vida pode voltar ao normal sem um imunizante, pois a transmissão do coronavírus é real. “A tendência é vivermos um novo pico da doença. Não teremos essa segunda onda tão caracterizada, pois estávamos em um platô bastante alto, mas o aumento de casos está se prenunciando com o crescimento de internações e dos testes laboratoriais. Caso as pessoas não se conscientizem, certamente, vamos repetir a Europa”, alerta.

Leia também:
DF tem mais de um milhão e meio de vacinados contra a Covid-19

Não existe ainda outra maneira de proteção além de distanciamento social, uso de máscara e evitar aglomerações, segundo o epidemiologista Bernardo Horta, a chegada do final do ano e o começo de 2021 é um problema e 2° onda será provocada sem ter controlado a 1°.

Print Friendly, PDF & Email