Marcello Casal/Agência Brasil

Após sentença do ex-juiz Sergio Moro ser anulada, ex-gerentes da Petrobras são condenados

Juiz da 13° vara de Curitiba condena ex-gerentes da Petrobras, criminosos já haviam sido julgados anteriormente por Sergio Moro

Nesta terça-feira (1), o juiz Luiz Antônio Bonat, na 13° vara de Curitiba, condenou ex-gerentes da Petrobrás, Edison Krummenauer e Márcio Ferreira, os executivos Luis Mario da Costa Mattoni, Marivaldo do Rozario Escalfoni e Paulo Roberto Fernandes, administradores da Andrade Gutierrez, Akyzo e Liderrol , por corrupção e lavagem de dinheiro, as denuncias foram feitas em junho de 2017 pela operação lava-jato.

O grupo, que já havia sido condenado pelo ex-juiz Sergio Moro em 2018, movimentou mais de R$150 mi em propina e venderam informações privilegiadas para outras companhias.

Crimes

Fernandes e Escalfoni, foram condenados por quatro crimes de corrupção ativa nos contratos envolvendo construções da empresa, cinco crimes de simulação de contratos e movimentação de dinheiro para o exterior, as penas serão de 13 anos e 11 meses de reclusão e 334 dias-multa em regime inicial fechado.

Os outros indiciados, Márcio de Almeida Ferreira, foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, condenado à 10 anos e 15 dias de reclusão e 210 dias-multa em regime inicial semiaberto. Luiz Mário, condenado por pagar propina e simulação de contratos, 10 anos e 15 dias de reclusão e 210 dias-multa em regime inicial semiaberto.

Edison Krummenauer, por receber propina três vezes e ocultação de vantagens por meio de contratos de prestações de serviço ficará recluso por 8 anos, 9 meses e 18 dias e 156 dias-multa em regime inicial fechado.

Print Friendly, PDF & Email