Superintendência da Receita Federal, em Brasília.

Arrecadação federal tem alta real de 4,3% em fevereiro e melhor primeiro bimestre desde 2000

O resultado foi influenciado por fatores não recorrentes, como o recolhimento extraordinário de R$ 6,5 bi do Imposto de Renda Pessoa Jurídica/Contribuição Social sobre o Lucro Líquido em janeiro e fevereiro de 2021

Nesta segunda-feira (22), a Receita Federal informou que a arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais registrou alta real de 4,3% em fevereiro deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2020. A arrecadação somou R$ 127,7 bi e é a melhor para o mês de toda a série histórica da Receita Federal, iniciada em 2000.

No acumulado de 2021, somando janeiro e fevereiro, o governo federal arrecadou R$ 307,968 bi em tributos, alta real de 0,81% na comparação com o início de 2020.

O Imposto sobre Importação e o IPI Vinculado arrecadaram, em conjunto R$ 7,114 bi, representando crescimento real de 41,83%.

Já a Cofins e o PIS/Pasep apresentaram uma arrecadação conjunta de R$ 27,136 bi, com acréscimo real de 2,22%.

De acordo com a pasta, o resultado pode ser explicado pelos fatores não recorrentes, como recolhimento extraordinário de R$ 6,5 bi do Imposto de Renda Pessoa Jurídica/Contribuição Social sobre o Lucro Líquido em janeiro e fevereiro de 2021; e pelos recolhimentos extraordinários de R$ 2,8 bi no mesmo período do ano anterior.

“Além disso, as compensações aumentaram 83% em fevereiro de 2021 em relação a fevereiro de 2020 e 51% no período acumulado”, afirmou o ministério.

Print Friendly, PDF & Email