AstraZeneca erra na dosagem da vacina

Menelas Pangalos afirma que maiores informações sobre a vacina será publicada em uma revista cientifica

Nesta quarta-feira (25), Menelas Pangalos, vice-presidente da AstraZeneca, admitiu que realmente houve um erro na dosagem que eles dizem ter sido o suficiente para combater a corona vírus. A vacina está sendo produzida em parceria com a Universidade de Oxford, nesse momento eles são acusados de não serem totalmente transparentes com os resultados dos estudos.

Foi dito pela empresa que a vacina contra o coronavírus era até 90% eficaz quando aplicada apenas meia dose, porém o investigador do estudo notou que os voluntários não estavam tendo uma reposta inflamatória à injeção, assim percebendo-se que havia sido cometido um erro no cálculo da dosagem por parte da empresa AstraZeneca.

AstraZeneca afirma que sua vacina em conjunto com a Oxford não mencionou esses resultados, e que foi apenas um erro de fabricação. No momento a empresa pede aos reguladores do Reino Unido, Estados Unidos e União Europeia para incluir o estudo da meia dose, pois ainda que atinja 60% está dentro dos limites que aprovam uma vacina.

Leia também:
Número de mortes por Covid-19 nas últimas 24h é o menor em 23 dias

Outros fatores que foram analisados pelo investigador é que a meia dose foi aplicada apenas em voluntários com 55 anos ou menos, Moncef Slaoui, consultor científico chefe da iniciativa Operação Warp Speed do governo dos EUA, afirmou em uma vídeo conferência que essa é só uma variável das milhares que se podem ter, até ser uma diferença aleatória.

Cientistas criticaram AstraZeneca de divulgarem poucas informações sobre a vacina “A AstraZeneca forneceu muito poucas informações reais para avaliar de forma independente como estão os testes de vacinas”, disse Shane Crotty, pesquisador de vacinas e doenças infecciosas do Instituto La Jolla de Imunologia.

Print Friendly, PDF & Email