Ator Eduardo Galvão morre aos 58 anos devido à covid-19

Ator foi internado com cerca de 50% dos pulmões comprometidos, mas o quadro se agravou e ele não resistiu. Famosos lamentam sua morte nas redes sociais

O ator Eduardo Galvão (58), morreu na noite da segunda-feira (7), em decorrência da covid-19. Ele estava internado na UTI do Hospital Unimed Rio, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital fluminense. Ele deu entrada com cerca de 50% dos pulmões comprometidos, mas o quadro se agravou e ele não resistiu. Galvão estava na UTI do hospital desde o dia 28 de novembro.

No primeiro dia, a única filha do ator, Mariana Galvão, disse à revista Quem que o quadro do pai era estável.  “Meu pai precisou ser entubado, mas, no momento, está estável, com os rins funcionando bem, a pressão arterial estabilizada e os pulmões descansando para desinflamar como tem que ser. E está descansando, o que vai fortalecê-lo com certeza”.

Mariana disse que seu pai estava se alimentando melhor.  “Ele estava tomando aqueles shakes de nutrição, mas agora conseguiu comer alguma coisa. Meu pai estava muito sem apetite, mas precisava dos nutrientes. E aí acho que ele está mais forte”, pontuou.

O quadro do ator havia melhorado.  “O exame da Proteína C-reativa (PCR), que precisava diminuir, diminuiu mais um pouco. Tinha ido para 24 mg/L e agora está 17 mg/L, graças a Deus. Os exames estão todos melhores e só o pulmão dele que ainda está precisando do oxigênio. Por isso que ainda não tem nem previsão de sair da UTI por conta do pulmão que ainda está necessitando muito do oxigênio”, explicou.

Carreira

Leia também:
DF tem mais de um milhão e meio de vacinados contra a Covid-19

Aos 27 anos, o ator estreou na novela O Salvador da Pátria, em 1989.

Em 1992 viveu Paschoal Papagaio em Despedida de Solteiro.

Atuou em novelas como A Viagem, em 1994, As Pupilas do Senhor Reitor, em 1995 e em 1999 na série Chiquinha Gonzaga.

Na Record, integrou o elenco de Apocalipse, em 2017.

O último trabalho de Eduardo Galvão foi na novela Bom Sucesso, em 2019, da Rede Globo, no papel do Dr. Machado.

O personagem que mais se destacou foi Artur, da série Caça Talentos, que foi ao ar de 1996 a 1998 e se tornou um sucesso na TV Globo.

Leia também:
Covid-19: mortes caem 14% e casos, 8%, diz Ministério da Saúde

Famosos lamentam morte  

Glória Perez, autora. “Triste. Perdemos o Eduardo Galvão.”

O clube Flamengo. “O Clube de Regatas do Flamengo lamenta profundamente o falecimento do ator Eduardo Galvão, vítima da Covid-19. Grande rubro-negro e sempre participativo nos eventos do clube, Eduardo deixará muitas saudades”, disse o time.

Galvão Bueno, comentarista. “Eduardo Galvão era Talento, Alegria e Caráter!! Amigo querido!! R.I.P. Xará!”

Tom Cavalcante, ator. “A gente te ama tanto cara! Tô, estamos muito tristes pela sua partida! Há tempos não nos víamos é verdade mas nossa amizade permanecia blindada, intacta de admiração. Um barato sempre que nos encontrávamos. Nada havia mudado e a gente rapidinho entre uma ponte aérea e outra colocávamos o papo em dia. Teu sorriso não me sai da mente! Tua leveza fruto da sua espiritualidade cativava a todos. Você agora é eterno e vai pra pertinho de Deus sob a luz divina. Converso com você em oração, combinado meu craque! Beijo em cada um da tua família linda. Paz e bem e obrigado por tudo gente fina, irmão, anjo de luz!”.

Leia também:
Covid-19: DF confirma primeiros casos da variante Delta

Miguel Falabella, ator e diretor. “Querido Galvão, entre nós há a árida extensão da Avenida Brasil que ambos cruzamos infinitas vezes em busca de nossos sonhos. Eu no 328 e você no 326, sempre a caminho da Ilha, nós os insulanos, em busca do continente. Receba meu afeto e minha homenagem. Espere por mim na outra margem para rirmos juntos ainda uma vez. Obrigado pela sua alegria sempre”.

Danielle Winits, atriz. “Teu vôo por aqui foi lindo. Que pouse em paz, Eduardo. E como sempre sorrindo”

Leia também:
Covid-19: mortes caem 14% e casos, 8%, diz Ministério da Saúde

Patricia Pillar, atriz. “Uma tristeza imensa a perda do ator Eduardo Galvão pra Covid. Grande colega de trabalho, um cara leve e super divertido. Todo o meu carinho aos amigos e familiares”

Boni, diretor de TV. “Acabo de receber a notícia que um querido amigo perdeu a luta para a covid @galvaoeduardooficial era uma doce e divertida pessoa. Meu parceiro no Caça Talentos, programa da Angélica. Ator talentoso, divertido, parceiro. Pra muitos é só uma gripe, para quem perde parceiros é uma peste grave. Eu sigo com medo e com todos os cuidados. Covid mata sim”

Print Friendly, PDF & Email