Bebê anta nascido no Jardim Zoológico de Brasília é batizado de Pepino

O nascimento do filhote de anta é um grande passo para combater a extinção da espécie

Filhote de anta nascido no Jardim Zoológico de Brasília no dia 18 de janeiro recebeu o nome de Pepino. A escolha se deu a partir de votação popular nas redes sociais, com a participação de 3.265 pessoas. O nascimento do filhote é um grande passo para combater a extinção de sua espécie. 

O novo residente do Zoo, é filho do Melão e da Melancia, duas antas que chegaram órfãs a Brasília e se reproduziram em cativeiro. O biólogo Filipe Reis, diretor de Mamíferos do Zoo, comemora o sucesso do nascimento de Pepino. “Esses indivíduos atingiram a maturidade e, com todos os cuidados que tivemos, conseguiram se reproduzir bem em uma tentativa recente”, afirma.

De acordo com Felipe Reis, os filhotes nascem pintados como estratégia de defesa. A partir do quarto mês de vida as manchas começam a desaparecer e quando completa um ano já está todo cinza, cor padrão da espécie.  “Essa é uma forma deles se camuflarem. Quando a mãe sai para se alimentar, o filhote fica no meio da vegetação e, assim, é mais difícil de ser visto por possíveis predadores”, ressalta.

Pepino está sendo cuidado exclusivamente pela mãe, e já teve o contato do pai Melão, mas é a mãe Melancia que se vira nos cuidados com a cria. Visitantes do Zoo podem, flagrar os cuidados maternos no recinto das antas, já que a nova família está por lá. Até o momento, os técnicos do Zoo não precisaram intervir porque tudo corre bem. 

No quesito alimentação, Pepino só quer saber de leito materno, por enquanto, mas brevemente vai passar a ingerir folhagens. “A anta é um animal herbívoro, que se alimenta de folhas, raízes, galhos, sementes e, por isso, ela é considerada também uma dispersora de sementes”, atesta o diretor de Mamíferos do Zoo.

Extinção

A anta é o maior mamífero brasileiro. O animal é o maior responsável pela disseminação de sementes na floresta, sendo conhecido como o jardineiro da floresta.

A espécie é praticamente encontrada em todo o Brasil, sendo que em algumas regiões ela é considerada extinta. Na Mata Atlântica, a anta tem status de criticamente ameaçada, que é o nível mais grave antes da extinção.

“Esse filhote vai poder contribuir para a conservação da espécie no zoológico”, atesta Filipe Reis.

Print Friendly, PDF & Email