Black Friday terá seu auge esse ano com vendas on-line

“A pandemia mudou hábitos de consumo e trouxe novos consumidores para o meio digital”, afirma economista

A black friday marcada para acontecer nesta sexta-feira (27) traz questionamentos, o final de semana mais esperado do ano continuará sendo marcado pela “balck fraude” ou irá obter sucesso, diante desse cenário de pandemia e desemprego.

A pandemia do novo coronavírus desencadeou um número grande de pessoas que estão desempregadas, esse é um dos fatores que podem prejudicar as compras desse ano, mas algo ainda pode salvar o comércio nessa sexta-feira, as compras on-line.

Segundo a economista, Isabela Tavares os comerciantes já perceberam que esse novo meio será lucrativo, “A pandemia mudou hábitos de consumo e trouxe novos consumidores para o meio digital” afirma, “Muitas lojas perceberam isso e investiram em canais de venda online”.

O maior fator de comando do varejo ainda está em baixa para alguns analistas, segundo Mauricio Morgado, da Fundação Getúlio Vargas (FVG), três fatores estão prejudicando as compras.

“Há três fatores que mandam no varejo. Para consumir, a pessoa precisa ter emprego, renda e confiança. Os três estão baixa agora” afirma Mauricio, “Se a Black Friday tiver um crescimento, não deve ser forte. A pandemia pode fazer as vendas pararem de crescer, porque é uma data muito voltada para eletroeletrônicos, que são compras que podem ser adiadas e que são normalmente parceladas, e qualquer coisa que depende de parcelamento é afetada em um cenário de incerteza.” aponta.

A previsão para os próximos dias não tão boas, uma segunda onda de covid-19 se aproxima, o ponto positivo para o comercio é que provavelmente as pessoas vão querer adiantar as compras de natal deste ano.

Print Friendly, PDF & Email