O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa no Palácio da Alvorada

Bolsonaro afirma que os laboratórios que quiserem vender vacinas contra a Covid-19 devem ir atrás da autorização da Anvisa

Em conversa com apoiadores em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro questionou se quem já foi infectado deve tomar a vacina contra a Covid-19

Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta segunda-feira (28), que os laboratórios que quiserem vender a vacina contra o novo coronavírus para o Brasil deverão “ir atrás” do registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para o chefe do Executivo o processo de registro de vacinas contra o vírus não pode ser feito de forma apressada devido aos riscos de efeitos colaterais.

“O Brasil tem 210 milhões de habitantes, um mercado consumidor de qualquer coisa enorme. Os laboratórios não tinham que estar interessados em vender para a gente? Por que eles não apresentam documentação na Anvisa? Só dizem que têm que ir atrás. Não, quem quer vender tem que se apresentar”, argumentou o presidente, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

“Eu falei que não estava preocupado com pressão, falei mesmo. Porque nós temos que ter responsabilidade. Certas coisas não podem ser correndo, você está mexendo com a vida do próximo”.

“Agora, se eu vou na Anvisa, que é um órgão de Estado, [e digo] ‘Corre aí’, ‘Não sei o que lá’, eu estou interferindo. Até hoje não provaram a minha interferência na PF”, pontuou.

Bolsonaro criticou desde o início da pandemia as medidas de isolamento social e comentou as sanções determinadas em estados como São Paulo e Amazonas nos últimos dias. “É inacreditável, fizeram lockdown por cinco meses e não deu certo, agora alguns Estados querem fazer de novo”, argumentou. “Já repararam que na China está tudo funcionando?”

O presidente defendeu a assinatura de um termo de consentimento para quem decidir de vacinar. “Eu já falei que o povo vai saber que, na bula, nos contratos, em todos que eu vi até agora está escrito lá: ‘Não nos responsabilizamos por efeito colateral’. Que efeito colateral é esse? Não sei. Não vou nem fazer uma brincadeira aqui porque falam aqui que eu estou zombando”, disse ele.

Bolsonaro questionou, ainda, se pessoas que já foram infectadas pela Covid-19 devem ser imunizadas. “E agora, quem já foi infectado, como eu, tem que tomar (a vacina)? É impressionante, eu já assinei o cheque, R$ 20 bilhões, dinheiro de vocês. E tem gente de olho nesse dinheiro. É impressionante como uma ou outra pessoa que a gente conhece, sem dizer o nome aqui, jamais se preocuparia com a vida do próximo, a preocupação é outra, que eu não vou falar qual que é”, disse o presidente. 

Print Friendly, PDF & Email