Bolsonaro coloca plano para dividir o DEM em prática

Parlamentares da Câmara acusam o atual presidente da Casa de impedir que Davi Alcolumbre se reeleja 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), coloca seu plano em prática e pretende separar o partido do DEM, isso para evitar que um aliado de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Câmara, seja eleito. Para os parlamentares da Casa, Maia causou uma confusão que acabou acarretando na não reeleição também de Davi Alcolumbre (DEM-AP), atual presidente do Senado.

“Rodrigo agiu de maneira personalista e egocêntrica e não deixou nenhuma candidatura crescer. E terminou por prejudicar Alcolumbre. Agora, vai ser difícil”, ressaltou o deputado Arthur Maia (DEM-BA), ao Correio.

Porém fica claro que as atitudes de Maia foram pensadas, seu objetivo era não causar rivalidade entre os partidos antes mesmo que o seu mandato acabasse, Rodrigo Maia nunca anunciou que se recandidataria. Dentre os nomes que Maia gostaria para uma candidatura, estava Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), porém do partido pepista Arthur Lira foi o preterido, que acabou por se afastar de Maia e juntar forças com Jair Bolsonaro.

Plano de Bolsonaro

O plano de Bolsonaro é modificar a visão que outros partidos têm sobre o DEM, de se manter unido e assim agregar novas siglas. Bolsonaro, que sempre viu Rodrigo Maia como adversário, não irá medir esforços para dividir o DEM e derrubar uma possível candidatura de um aliado do democrata.

Nesse contexto, Jair Bolsonaro viu no candidato à presidência da Câmara, Arthur Lira, uma oportunidade de enfraquecer Maia. Da mesma forma aconteceu com o Centrão, dividindo-se de outros partidos para apoiar o Presidente da República.

Ainda não se pode afirmar que a divisão vai acontecer, os votos são secretos, mas o DEM não abrirá mão de proteger um dos seus aliados e deve se manter firme à Rodrigo Maia. Hoje o bloco contra Lira conta com PSL, PSDB, DEM, MDB, Cidadania e PV.

Print Friendly, PDF & Email