Os presidentes da República, Jair Bolsonaro e do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, fazem declaração à imprensa no Planalto

Bolsonaro quer Fundão de R$ 4 bilhões

O fundo eleitoral aprovado pelo Congresso é de quase R$ 6 bi

Nesta segunda-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em conversa com apoiadores, defendeu uma redução no valor do Fundo Eleitoral voltado ao financiamento de campanhas. O valor, de R$ 5,7 bi, está previsto na Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO) de 2022 aprovada no início de julho pelo Congresso Nacional.

Um apoiador o parabenizou por “vetar os 6 bilhões”. O presidente rebateu, “Olha, deixar claro uma coisa: vai ser vetado o excesso do que a lei garante, tá? A lei, quase 4 bilhões o fundo. O extra de 2 bilhões, vai ser vetado”, anunciou Bolsonaro, que na semana passada declarou que vetaria “o aumento do fundo eleitoral”.

“Se o pessoal começar a bater muito, vão escolher no segundo turno Lula ou, ou… Ou Ciro. A crítica é válida quando ela tem fundamento, pessoal”, continuou Bolsonaro.

Leia também:
Dólar tem forte alta, juros futuros disparam e Ibovespa cai após fala de Guedes

Bolsonaro deve enviar ao Congresso até agosto a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022, que é a versão final do Orçamento do próximo ano. Nela, os parlamentares podem recompor o valor, em cifra menor. A LOA deve ser votada pelo Congresso até o fim de 2021.

O montante elevado de R$ 5,7 bilhões, bem acima da inflação, gerou crítica de parte da opinião pública.

Print Friendly, PDF & Email