Bolsonaro se encontra com empresários e promete acelerar vacinação para recuperar a economia

Bolsonaro se encontra com empresários e promete acelerar vacinação para recuperar a economia

Empresários demonstram preocupação com o ritmo da vacinação e a crise econômica e presidente promete dar agilidade à vacinação e diz acreditar na aprovação das reformas pelo Congresso

Na noite desta quarta-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com um grupo de pelo menos 20 empresários na casa de Washington Cinel, dono da empresa Gocil, do setor de segurança, no bairro Jardins, em São Paulo. No jantar, Bolsonaro afirmou que haverá um esforço para trazer a revitalização da economia, que foi afetada pela nova onda de infecção e pelos recordes consecutivos de mortes por Covid.19.

Estavam presentes representantes de bancos, como Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Conselho de Administração do Bradesco, David Safra, presidente do Banco Safra, André Esteves, líder do BTG Pactual, e empresários como Rubens Ometto, da Cosan, Flávio Rocha, da Riachuelo, e o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Os empresários demonstraram preocupação com a vacinação da população e a crise econômica atravessada pelo país.

De acordo com alguns participantes, Bolsonaro disse acreditar que o Congresso vai aprovar as reformas enviadas pelo governo. E repetiu algumas vezes que a pandemia não pode levar o Brasil à miséria total.

Rubens Menin, controlador da MRV, Banco Inter e da rede de televisão CNN, elogiou a postura do presidente no encontro. “Foi uma conversa boa, eu gostei, me deu tranquilidade”. Segundo o empresário, o chefe do Executivo se comprometeu com a austeridade fiscal e com as reformas, que são outras demandas do setor produtivo.

Tratamento precoce

Bolsonaro elogiou o “tratamento precoce” incentivado pelo prefeito de Chapecó (SC), cidade que visitou, embora não tenha comprovação científica de eficácia.

No campo econômico elogiou o resultado do leilão de aeroportos, que arrecadou R$ 3,3 bi nesta quarta-feira como um sinal de confiança.

Máscara

Ao Globo, um dos empresários disse que “quase 90%” dos presentes estavam de máscara durante a maior parte do tempo.

Fábio Faria, ministro das Comunicações, salientou que tem dúvidas sobre a duração das medidas de isolamento propostas por governadores e prefeitos. Embora a restrição de circulação seja indicada por cientistas como forma de frear o vírus, ela vem sendo criticada duramente por Bolsonaro.

“Os empresários demonstraram preocupação muito grande com o desemprego. Essas medidas de restrição temos que tomar cuidado”, disse Faria na saída do encontro.

Além de Bolsonaro e Faria, também estiveram no jantar os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e da Saúde, Marcelo Queiroga.

Busca de vacinas

Empresários ouvidos pelo Globo afirmaram que Bolsonaro e os demais integrantes do governo deixaram claro que estão fazendo o possível para dar agilidade à campanha de vacinação.

O discurso de Bolsonaro, agora, é diferente do que vinha sendo pregado até o início do ano, quando chamou a CoronaVac de “vacina chinesa do Doria” e a ironizar os possíveis efeitos colaterais dos imunizantes já em uso no mundo.

Iniciativa privada

Um dos participantes do encontro contou que o principal assunto foi a vacinação contra a Covid-19 e como o setor privado poderia ajudar.

Ao presidente foi dito que a preocupação dos empresários é acelerar a vacinação para que a economia reaja, mas ficou uma impressão ruim para a opinião pública de que o setor privado queria comprar vacinas, imunizar seus funcionários e furar a fila dos grupos prioritários no país.

“Não se trata de furar a fila. As empresas querem adicionar novas doses de vacinas, com a contrapartida de doar uma parte delas ao SUS e vacinar quem está na linha de frente da economia. A questão é que nesse momento a oferta de vacinas é escassa”, disse um participante durante o jantar.