Bolsonaro se irrita com anúncio de fechamento de agências e demissões no BB e pode demitir Brandão

Bolsonaro teria se irritado pelo fato de que o anúncio de reestruturação do Banco do Brasil foi anunciado antes das eleições da Câmara dos Deputados e do Senado Federal

O Banco do Brasil (BB) quer fechar 112 agências e desligar 5 mil funcionários. A pressão de aliados políticos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levou o Palácio do Planalto a reagir contra a restruturação do Banco do Brasil e pode resultar na saída do atual presidente da Instituição, André Brandão. Caso a demissão seja confirmada, Brandão sairá do comando do banco menos de quatro meses após sua posse. Rumores da demissão do executivo mexeram com os mercados e ações do BB desabarem quase 5% nessa quarta-feira (13) na Bolsa de Valores de São Paulo.

O Jornal o Estado de S. Paulo apurou que o presidente Jair Bolsonaro decidiu demiti-lo pelo desgaste provocado com o anúncio, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda tenta fazer com que Bolsonaro mude de ideia.

O BB criou duas modalidades de desligamento incentivado voluntário aos funcionários. O Programa de Adequação de Quadros, para redistribuir força de trabalho e o Programa de Desligamento Extraordinário, disponível a todos os funcionários do BB que atenderem a pré-requisitos.

A principal irritação de Bolsonaro é motivada pelo anúncio das medidas antes da definição das presidências da Câmara e senado. As eleições para as Casas acontecem no dia 1º de fevereiro deste ano.

O BB é uma empresa de economia mista, mas a maior parte das ações, pouco acima de 50% com direito a voto pertencem ao governo. O banco tem ações em bolsa e atualmente 20% do capital é estrangeiro.

Pandemia

Grandes bancos sofreram impacto da pandemia do novo coronavírus e vêm fazendo ajustes no período. Durante a crise sanitária, muitas instituições encerraram atividades de agência por todo o país. Houve uma aceleração do processo devido à pandemia.

O setor ainda não conseguiu se reerguer da queda provocada pela pandemia. O valor de mercado de uma parcela dos bancos de grande porte em atuação no país segue abaixo do patamar com relação ao valor de antes da pandemia.

A ação BB na Bolsa de São Paulo estava em torno de R$ 50 em fevereiro de 2020, nesta quarta-feira (13) encerrou a R$ 37,55, com queda de 4,93% no dia após a divulgação da possível demissão do presidente.

Brandão foi indicado pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Campos Neto está na agenda de Guedes nesta quinta-feira e há rumores de que Brandão pode ser realocado no Ministério da Economia, como aconteceu com Novaes, que virou assessor especial de Guedes após pedir demissão.

Print Friendly, PDF & Email