BRB alcança maior lucro de sua história em 2020: R$ 456 milhões

Apesar da crise de Covid-19, o BRB atingiu resultado histórico de quase meio bilhão de reais de lucro. O banco foi decisivo para a promoção de programas sociais

O Banco de Brasília (BRB) registrou em 2020 um lucro líquido recorrente de R$ 456 mi. É o maior resultado de sua história. Mesmo em um ano em que enfrentou a crise sanitária devido ao novo coronavírus, o resultado representou um crescimento de 10,5% em relação a 2019.

O atual presidente do banco, Paulo Henrique Costa, ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal, nomeado pelo governador Ibaneis Rocha, atuou para que o desempenho do BRB atingisse o resultado histórico observado. O BRB estima repassar aos acionistas aproximadamente R$ 128 mi em dividendos. O GDF deve ficar com a maior parte, de R$ 120 mi, porque é o acionista majoritário.

O banco ofereceu crédito a pessoas físicas e jurídicas em condições especiais, durante a pandemia, além de assumir encargos importantes na gestão de áreas vitais do governo do Distrito Federal.

Nesta sexta-feira (12), o BRB divulga o balanço do 4º trimestre de 2020 e do acumulado do ano. Nos últimos quatro meses, o banco teve lucro recorrente de R$ 137 mi, um acréscimo de 19,8% em relação ao 3º trimestre.

O BRB possibilitou a efetivação do programa Supera-DF, lançado pelo GDF para amenizar a crise resultante da pandemia, tanto para pessoas físicas como para pessoas jurídicas. Nesse programa foram movimentos R$ 4,4 bi e 180 mil famílias foram beneficiadas, por meio de programas sociais como Cartão Material Escolar, Renda Emergencial e Prato Cheio.

O BRB abriu 150 mil contas em 2020, um aumento de 24,3% na base de clientes em 12 meses. Do total, 130 mil são do BRB Nação Fla, banco digital lançado em parceria com o Flamengo.

Print Friendly, PDF & Email