Superintendência da Receita Federal, em Brasília.

Com pandemia, arrecadação federal soma R$ 1,479 tri, em 2020

Apesar de ser um dos piores resultados desde 2010, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirma que diante do cenário vivido foi uma “queda branda”

A Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira (25), que a arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 1,479 tri em 2020, o valor representa uma queda de 6,91% em comparação ao registrado em 2019 de R$ 1,639 tri. O impacto foi ocasionado pela pandemia de covid-19. 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, hoje que a queda foi moderada levando em consideração o cenário vivido no Brasil em 2020. “Queda de 3,75% da arrecadação, no ano de desafio para a economia, é resultado excelente. Essa queda de 3,75% da arrecadação em 2020 em termos nominais é uma ‘queda branda’, dada a gravidade do fenômeno”, declarou citando o dado nominal.

De acordo com a Receita a queda na arrecadação de 2020 é reflexo da pandemia do novo coronavírus, que gerou tombo da economia brasileira, além de medidas do governo e de empresas para enfrentar a crise. Uma dessas medidas foi redução a zero das alíquotas do IOF aplicáveis nas operações de crédito. Esse imposto ficou zerado por quase todo o ano de 2020, diminuindo a arrecadação do Fisco em R$ 19,7 bilhão.

Outra medida para ajudar as empresas em crise, o governo permitiu que alguns impostos de abril e maio fossem recolhidos somente no segundo semestre. Mas muitas empresas não quitaram suas dívidas. Segundo o Fisco, dos R$ 85,154 bilhões diferidos no primeiro semestre de 2020, somente R$ 64,397 bilhões foram pagos no segundo semestre. Ou seja, R$ 19,757 bilhões ainda não foram recolhidos.

Print Friendly, PDF & Email