Um profissional de saúde realiza um teste finalizado em um local de testes de coronavírus fora dos Serviços Comunitários de Saúde Internacionais no Distrito Internacional de Chinatown durante o surto de doença por coronavírus (COVID-19) em Seattle, Washington, EUA, em 26 de março de 2020. REUTERS / Lindsey Wasson

Covid-19 já causou a morte de 915 indígenas e atingiu 161 tribos

Dados da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Anip) mostram que entre os indígenas já foram 44.680 infecções e 915 mortes, desde o início da pandemia

De acordo com balanço feito pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Anip), um total de indígenas afetados pela covid-19 são de 44.680 casos confirmados e 915 mortes. A doença já afetou o total de 161 tribos.

A contagem feita pelo governo federal diverge da realizada pela Anip, pois os critérios adotados pelo governo não incluem indígenas não aldeados. Segundo a Secretaria Especial de Saúde Indígena, do Ministério da Saúde, são 518 mortes e 38.783 infecções.

A Apib discorda do método desde o início da pandemia de covid-19, declarada oficialmente em 11 de março de 2020, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Bolsonaro acusado de negligenciar indígenas

A situação em que os indígenas se encontram atualmente tem repercutido no exterior, o Tribunal Penal Internacional está analisando uma possível negligência por parte do presidente Jair Bolsonaro às comunidades indígenas.

A denúncia é representada pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), a entidade acusou o presidente de crime contra a humanidade.

Uma das medidas mais drásticas tomadas pelo chefe de Estado é tornar a mineração, geração de energia elétrica e exploração de petróleo e gás em terras indígenas legal. Na ocasião, o ministro Onyx Lorenzoni, comparou a medida com a Lei Áurea.

“Com a sua assinatura será a libertação. Ou seja, nós teremos a partir de agora a autonomia dos povos indígenas e sua liberdade de escolha. Será possível minerar, gerar energia, transmitir energia, exploração de petróleo e gás e cultivo nas terras indígenas. Ou seja, será a Lei Áurea”, disse o ministro.

Print Friendly, PDF & Email