Um técnico monta kits de teste de coronavírus nas instalações de fabricação da Evolve, onde fabricarão ventiladores, em Fremont, Califórnia, EUA, em 26 de março de 2020. Foto tirada em 26 de março de 2020.

Covid-19: país registra menor número de mortes em 24h desde março deste ano

Foram 10.852 óbitos no período, uma queda de 9%

De acordo com dados mais recentes divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e analisados pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, a última semana epidemiológica no país, entre os dias 27/6 e 3/7, terminou com o menor número de mortes por Covid-19 desde março deste ano.

De casos, o resultado é menos trágico desde fevereiro. Os 355.131 novos infectados, entre o fim de junho e o início de julho são a menor quantidade desde fevereiro, numa diminuição de 29,4%.

Na semana dos dias 28/2 a 6/3, 10.104 foram registradas.

Leia também:
UPAs do Iges-DF vão atender mais de 68 mil pacientes por mês

De acordo com especialistas, a diminuição de notificação de mortes e casos de coronavírus é resultado do reflexo da corrida para a imunização da população por meio da vacina contra a doença.

A faixa dos maiores de 60 anos foi, desde o começo da pandemia, a parcela mais expressiva entre os óbitos documentados no país. E são também as pessoas que pertencem a este grupo nos grupos atuais de vacinação em todo o país. O médico infectologista Eder Gatti afirma que o avanço da vacinação demonstra como ela é efetiva para contenção da pandemia do coronavírus.

“Se pegarmos dados de internações e óbitos por síndrome respiratória aguda grave, percebemos como isso (a vacinação) é eficaz. As incidências em pessoas nas faixas etárias acima dos 60 anos caem, enquanto que as de 40 até 59 anos começam a crescer pelo fim de abril. E a diferença que nós temos entre esses dois grupos é apenas a imunização”, explica Gatti.

Print Friendly, PDF & Email