Crise no setor hoteleiro foi ocasionada pela pandemia

Enquanto áreas comerciais alcançam evolução na economia gradualmente, setor hoteleiro não consegue se reerguer

Hotéis de Brasília sofrem com efeitos da pandemia. Mesmo com a retomada das atividades o setor hoteleiro não consegue se reerguer, turismo e viagem não é uma opção diante desse cenário. Outros ramos seguem alcançando uma evolução gradual na economia enquanto a hotelaria segue na espera de uma vacina.

No começo de abril quando se deu inicio a pandemia, a professora Mara Flora do Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília, afirma que as ocupações chegaram a apenas 5%. A retomada de atividades escolares também afeta a hotelaria, uma vez que as famílias precisam ter responsabilidades e não podem usufruir de mais lazer.

É fato que muitas demissões ocorreram nesse período, entre todos os setores que precisaram dispensar seus funcionários a hotelaria bateu recordes. O presidente do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Silva afirma que foram mais de 25 mil demissões, “Se você juntar rede hoteleira, bares e restaurantes, foram cerca de 25 mil demissões no DF. Em um primeiro momento, o setor hoteleiro representou a maior parte disso” disse.

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Distrito Federal (Abih/DF) pediu ao Executivo que o pagamento de impostos fossem reduzidos ou auxilio para arcar com a manutenção dos locais. Apesar do apelo, o GDF não achou uma opção viável, “Essa arrecadação é importante para manter os pagamentos de salários e fornecedores em dia, inclusive das áreas de saúde e educação, especialmente sensíveis em época de pandemia”.

Com a chegada do aniversario de Brasília, que irá comemorar 60 anos, o Sindhobar juntamente com Brasília Convention and Visitors Bureau e a ABIH-DF, irão oferecer descontos nos pacotes de hospedagem que podem chegar em até 60% de desconto, restaurantes também terão promoções em seus pratos.

Print Friendly, PDF & Email