DF espera por orientações do governo para lançar plano de imunização

Até o momento, no DF, o GDF afirma que investimentos estão sendo feitos e seringas já foram adquiridas

Enquanto regiões do Brasil e do mundo avançam na busca pela vacinação da população, a capital federal segue sem planos e aguarda orientações do governo. No momento os investimentos seguem sendo feitos em seringas.

Por meio de nota, a Secretaria da Saúde afirma que varias questões devem ser levadas em consideração antes que uma decisão seja tomada. A secretaria segue esperando novas informações, e assegura está em contado com o Ministério da Saúde e Conass acompanhando o andamento das tratativas.

O último levantamento feito pela Secretária de Saúde, no domingo dia (6), a capital registrava 3.985 mortes pela doença e 233,7 mil infectados.

Imunização em etapas

Foi divulgado pelo Ministério da Saúde que a vacinação, contra a covid-19, acontecerá em etapas.

A primeira fase contará com a imunização de trabalhadores da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena. Segunda fase, pessoas de 60 a 74 anos.
Terceira fase, pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da Covid-19, como pacientes com doenças renais crônicas e cardiovasculares. Quarta fase profissionais da educação, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Até o momento nenhuma vacina foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), porém acordos já forma firmados e o governo garante o recebimento de 142,9 milhões doses de vacinas, com a Fiocruz/AstraZeneca (100,4 milhões) e Covax Facility (42,5 milhões).

Governo de São Paulo

O governo de São Paulo informou nesta segunda-feira (7) que o plano de vacinação com a CoronaVac, começa no dia 25 de janeiro de 2021. Apesar da vacina, produzida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, ainda não ter sido liberada pela Anvisa, o governador João Doria diz que iniciará a imunização da população mesmo sem investimento do governo federal.

João Doria afirma ainda que vai disponibilizar 4 mi de doses do imunizante ao estados e municípios que solicitarem. Segundo Doria, oito estados manifestaram interesse.

“Nós temos já oito estados do país que solicitaram a vacina CoronaVac ao Instituto Butantan. Alguns governadores vieram até aqui, inclusive, tratar deste assunto conosco.” disse Doria.

Vacina para todos

Ministério da Saúde afirma que algumas negociações devem ser firmadas até o final da semana. 70 milhões de doses da vacina produzida pela Pfizer serão adquiridas. Bolsonaro garante que todos serão vacinados e que não falta recursos para que isso ocorra.

“Em havendo certificação da @anvisa_oficial (orientações científicas e preceitos legais) o @govbr ofertará a vacina a todos, gratuita e não obrigatória. Segundo o @MinEconomia não faltarão recursos para que todos sejam atendidos. Saúde e Economia de mãos dadas pela vida.” publicou o Presidente.

Em contra partida o presidente da Câmara Rodrigo Maia, afirma que a Anvisa “passa a impressão” de “tender para agradar” o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“O papel da Anvisa tem me gerado mais preocupação, inclusive hoje a reação da Anvisa à coletiva do governador de São Paulo. Não criamos essas agências ao longo dos últimos anos para que ela sirva a uma disputa política ou para que ela tenda para um lado do jogo político”, argumentou.

Print Friendly, PDF & Email