Educação: nesta segunda-feira, 22 mil crianças voltam às creches públicas

Após um ano e quatro meses de ensino remoto devido à crise sanitária causada pelo novo coronavírus, a rede pública do DF retoma o ensino presencial nesta segunda-feira  

A partir desta segunda-feira (5), 22.967 crianças de 0 a 5 anos voltam a frequentar as creches parceiras da Secretaria de Educação do DF. Nos colégios, a previsão de retorno é para 2 de agosto. A pasta acredita que todos os profissionais estarão imunizados contra a Covid-19 até esta data.

A secretaria criou um guia de orientações a fim de recepcionar trabalhadores, pais e crianças. O documento traz questões como: distanciamento; necessidade de uso de máscaras para crianças a partir de 3 anos; troca de máscara a cada três horas; verificação da temperatura; organização na entrada e nos horários das refeições, para evitar aglomerações; disponibilidade de produtos de higienização em todos os ambientes; e a necessidade de não compartilhamento dos brinquedos.

Leia também:
Covid-19: DF vacina pessoas com 35 e 36 anos a partir desta quinta-feira

Se a criança apresentar sintomas de gripe ou resfriado, como febre e mal-estar, ou de Covid-19, ela irá permanecer com atividades remotas. A família deverá procurar uma unidade de saúde e comunicar a escola. Caso os sintomas na criança sejam detectados na instituição educacional parceira, ela deverá ser isolada das demais, e a família deverá ser avisada e orientada a buscar atendimento médico.

Da mesma forma, profissionais de educação que apresentarem sintomas deverão permanecer em trabalho não presencial e ir a uma unidade de saúde. As crianças e demais pessoas que tiveram contato com outras com suspeita de Covid-19 deverão ser monitoradas.

Leia também:
Covid-19: mortes caem 14% e casos, 8%, diz Ministério da Saúde

Hellen de Paulo Mota (32), diretora-geral do Centro Comunitário da Criança, creche conveniado ao Executivo local com atuação em quatro endereços em Ceilândia, sente-se confiante com a preparação que ocorreu no período de atividades remotas. Todos os colaboradores estão imunizados com a primeira dose das vacinas, segundo ela. “É um misto de alegria e ansiedade. Construímos um protocolo próprio da instituição com base na experiência das escolas particulares”, explica.

Entre as estratégias, há atividades lúdicas para garantir a troca, a cada duas horas, das máscaras dos profissionais. “São cinco por dia, de diferentes cores, para todos os colaboradores. E, no momento da substituição, colocamos uma música com referência à cor da vez. Toda a equipe faz a troca do item de proteção”.

Leia também:
Ibaneis sanciona lei que cria universidade do Distrito Federal, a UnDF

Em razão da pandemia da Covid-19, o atendimento presencial foi suspenso nas parceiras em março do ano passado. O retorno, com atividades não presenciais, ocorreu em junho de 2020, com um período de acolhimento para os estudantes da rede pública, e as crianças e famílias atendidas para adaptação ao ensino remoto. O ano letivo foi retomado em 13 de julho de 2020.

Print Friendly, PDF & Email