Revista Veja Matéria: Presidente da República Jair Bolsonaro cumprimenta e fala com admiradores ao sair do Palácio do Planalto. Foto: Cristiano Mariz Data: 04/10/2019 Local: Palácio do Planalto - Brasília - DF

“Eleições do ano que vem serão limpas”, diz Bolsonaro a apoiadores

Bolsonaro tem colocado o voto impresso como condição para legitimar o sistema eleitoral

Nesta quinta-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ameaçou a realização das eleições de 2022.

Durante conversa com apoiadores, no Palácio da Alvorado, Bolsonaro disse que as “eleições do ano que vem serão limpas”, fazendo referência ao voto impresso, “ou não teremos eleições”.

Bolsonaro disse que teria vencido as eleições de 2018 no primeiro turno. Ele, inclusive, já foi intimado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apresentar provas.

Leia também:
Rafael Prudente convoca militância emedebista para lutar pela reeleição do governador Ibaneis

“As eleições do ano que vem serão limpas. Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não teremos eleições”, disse Bolsonaro.

Na quarta-feira (7), ele afirmou que o seu lado “pode não aceitar o resultado” das eleições do próximo ano.

“Eles vão arranjar problemas para o ano que vem. Se esse método continuar aí, sem inclusive a contagem pública, eles vão ter problema, porque algum lado pode não aceitar o resultado. Esse lado obviamente é o nosso lado, que pode não aceitar esse resultado. Nós queremos transparência. […] Havendo problemas, vamos recontar”.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que só passará a faixa presencial se o voto for impresso.  “Eu entrego a faixa presidencial para qualquer um que ganhar de mim na urna de forma limpa. Na fraude, não”.

Leia também:
Pesquisa fake tenta empurrar goela abaixo no brasiliense, resultado obtido com menos de 29 pessoas ouvidas no DF

Em maio, ele subiu o tom e afirmou que, caso o voto impresso não seja implementado no pleito do próximo ano, “é sinal de que não vai ter eleição”.

“A única republiqueta do mundo é a nossa, que aceita essa porcaria desse voto eletrônico. Isso tem que ser mudado. E digo mais, se o Parlamento brasileiro […] aprovar e promulgar, vai ter voto impresso em 2022 e ponto-final. Não vou nem falar mais nada. Porque, se não tiver voto impresso, é sinal de que não vai ter eleição. Acho que o recado está dado”, disse.

Print Friendly, PDF & Email