Em 2021, Educação planeja retomar às aulas com modelo híbrido

O sistema acontecerá da seguinte forma, as salas de aula devem comportar metade da capacidade a cada semana, ou seja, metade dos alunos vão para a escola outra parte segue estudando em casa

Durante coletiva de encerramento do ano letivo de 2020, nesta quinta-feira (28), o secretário executivo de Educação do DF, Fábio Souza, informou que para o ano letivo de 2021, pode ser implantado o sistema de educação híbrido, que significa aulas presenciais e remotas. O calendário escolar da rede pública de ensino será iniciado no dia 8 de março.

A informação foi confirmada pelo chefe da pasta, Leandro Cruz, em coletiva no Palácio do Buriti, “Nós vamos manter todo o instrumento de tecnologia que temos hoje, mas é a pandemia que vai determinar como será o uso desse equipamento. Hoje, ele é utilizado para as aulas, mas pode ser que amanhã, com uma [eventual] volta 100% presencial, de todos os estudantes ao mesmo tempo, essa modalidade será usada como forma de reforço escolar”, acrescentou o secretário de Educação do DF, Leandro Cruz.

O sistema acontecerá da seguinte forma, as salas de aula devem comportar metade da capacidade a cada semana. Parte dos estudantes segue em casa em uma semana e na semana seguinte, vão à escola. Quem ficar em casa segue usando a plataforma Google Sala de Aula.

O formato ainda não é certeza pois depende da evolução da pandemia e também da campanha de vacinação dos profissionais de Educação contra a covid-19, que ainda não tem data para começar. O governador Ibaneis Rocha disse que os professores devem ser imunizados até março, data que são retomadas as aulas no DF.

“O retorno das aulas presenciais está previsto para 8 de março. Nós queremos proteger os nossos professores, para que a gente possa ter um nível de segurança maior”, disse Ibaneis Rocha, em visita à União Química.

Print Friendly, PDF & Email