Em julho, GDF assumirá gestão do transporte de passageiros do Entorno

O objetivo é melhorar os serviços e tornar o sistema de transporte mais eficiente por meio da racionalização dos itinerários e redução no tempo das viagens

A partir do dia 8 de julho, o GDF vai assumir a gestão e a fiscalização do transporte rodoviário de passageiros entre o Distrito Federal (GDF) e o Entorno. A nova norma foi publicada no Diário Oficial da União de quarta-feira (16), pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

A secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) vai se tornar responsável por 396 linhas de ônibus que ligam Brasília aos municípios goianos. O transporte envolve o trajeto entre o DF e 11 localidades do Entorno: Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Formosa, Girassol, Luziânia, Mansões Marajó (Cristalina), Monte Alto (Padre Bernardo), Novo Gama, Planaltina de Goiás, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso de Goiás.

De acordo com a Codeplan, pelo menos 200 mil pessoas se deslocam do Entorno para o Distrito Federal. Em 2020, esse número caiu para 125 mil devido à pandemia do novo coronavírus.

Leia também:
Em Padre Bernardo, Caiado inicia distribuição de cartões do Programa Mães de Goiás e entrega 303 Chromebooks a estudantes

A Secretaria de Transporte e Mobilidade explica que as autorizações para as empresas que fazem o transporte rodoviário serão mantidas até a próxima licitação, que será realizada pelo governo de Brasília. Ainda não há data marcada para isso, mas a nova regra prevê que o GDF poderá fazer modificações estruturais no sistema semiurbano.

“O objetivo é melhorar os serviços e tornar o sistema de transporte mais eficiente por meio da racionalização dos itinerários e redução no tempo das viagens”, explica o secretário Valter Casimiro. Segundo ele, a medida vai otimizar o sistema e tornar as viagens mais confortáveis para os passageiros.

“Nós já autorizamos que algumas linhas transitem pelas faixas exclusivas e no corredor do BRT, e já estendemos algumas linhas que antes só atendiam o DF para que atendam também as cidades goianas próximas da fronteira”, diz Casimiro.

Print Friendly, PDF & Email