Em nota o GDF esclarece que a licitação para contratação de merenda, foi cancelada em 31 de agosto

Em nota o GDF esclarece que a licitação para contratação de merenda, foi cancelada em 31 de agosto

A nota foi emitida por conta da investigação da Divisão Especial de Repressão à Corrupção da Cecor (Decor) da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor)

Em nota o GDF (Governo do Distrito Federal), esclarece que a licitação para a contratação de empresa para a fabricação e distribuição de merenda escolar, objeto de investigação do Ministério Público, foi cancelada no último dia 31 de agosto, por causa do adiamento do início das aulas nas escolas públicas.

A nota foi emitida por conta da investigação da Divisão Especial de Repressão à Corrupção da Cecor (Decor) da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor), cujo a suspeita é de irregularidades na licitação de merenda escolar na rede pública de ensino, que previa a entrega de 94 milhões de refeições ao custo de R$ 375 milhões.

Um dos alvos é o ex-secretário de Educação do Distrito Federal João Pedro Ferraz investigado pela Polícia Civil do DF (PCDF) e pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). A operação foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (9/9).

O Buriti ressalta que o ex-secretário de Educação já estava fora de sua função no GDF.

Íntegra da Nota:

“O Governo do Distrito Federal, tendo em vista o noticiário sobre a Secretaria de Educação, esclarece que a licitação para a contratação de empresa para a fabricação e distribuição de merenda escolar, objeto de investigação do Ministério Público, foi cancelada no último dia 31 de agosto, por causa do adiamento do início das aulas nas escolas públicas.

Não foi feito sequer pagamento de qualquer valor referente a alimentação escolar ou mesmo para a produção de vídeo-aulas, serviço efetivamente prestado.

Ressalte-se ainda que tanto o ex-chefe da Casa Civil quanto o ex-Secretario de Educação, ambos referidos nas notícias, já estavam fora de suas funções no GDF”.