Em operação da PCDF, grupo que furtou R$ 800 mil de casas de famílias chinesas é preso

A Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), cumpre ainda cinco mandados de prisão e seis de busca e apreensão no DF, São Paulo e Mato Grosso do Sul

Nesta quarta-feira (17), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou uma operação para prender um grupo criminoso que atuava roubando famílias chinesas no DF, São Paulo e Mato Grosso do Sul. A chamada Operação Xangai, da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), cumpre cinco mandados de prisão e seis de busca e apreensão.

Segundo a Polícia Civil, o grupo viajava pelo Brasil para cometer os crimes. A operação contou com apoio de policiais de São Paulo e Mato Grosso. De acordo com a Corpatri, da Polícia Civil do DF, os suspeitos escolhiam uma cidade para atuar, alugavam carros e iam até as residências de chineses, se passavam por familiares e entravam nas residências.

No Distrito Federal, os bandidos invadiram sete apartamentos sendo quatro em Águas Claras, dois no Guará e um em Taguatinga. No total, foram subtraídos mais de R$ 800 mil das vítimas. O diretor da DRF, delegado Fernando Cocito, explica que o foco dos criminosos são famílias chinesas que não tem domínio da língua portuguesa.

“São criminosos de pouca idade, moradores da cidade de São Paulo e que se perpetuam nesse tipo de empreitada. Sempre atacam famílias chinesas, que não dominam nossa língua e desconhecem nosso sistema persecutório”, explicou o diretor da DRF.

Operação Xangai

A primeira fase da operação deteve 12 criminosos que foram presos em São Paulo, Ceará e Santa Catarina. Nos últimos 5 anos, o grupo furtou pelo menos 18 apartamentos no DF.

Ainda em maio, mais três integrantes do grupo foram presos em São Paulo, por sete furtos em apartamentos na capital. Em novembro do ano passado, na segunda etapa da operação, outros três investigados foram presos.

Na segunda fase, os suspeitos foram presos por crimes cometidos em Brasília, Ceará, Pernambuco, Santa Catarina, Minas Gerais e São Paulo.

Todos os presos foram indiciados por associação criminosa e por sete delitos de furto qualificado. Essa é a terceira ação da DRF que alcança bandidos especializados em furto e roubo de casas de chineses. A Operação Xangai é desdobramento das operações Chengdu e Pequim, ambas deflagradas pela DRF.

Print Friendly, PDF & Email