Em plena pandemia de Covid-19, fim do auxílio emergencial afetará milhões de pessoas

Foi pago nesta terça-feira a última parcela do auxílio emergencial para cidadãos nascidos em dezembro

A Caixa Econômica Federal (CEF) depositou nesta terça-feira (29), a última parcela do auxílio emergencial para 3,2 milhões de brasileiros nascidos em dezembro. O programa que começou no mês de abril, está previsto para acabar no fim deste mês e não haverá prorrogação. Em 2021, só serão efetuados pagamentos resultantes de contestações administrativas e extrajudiciais e de decisões judiciais, segundo o Ministério da Cidadania.

Apesar dos parlamentares lutarem por uma extensão do programa, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, afirma que não haverá prorrogação, e o bolsa família será retomado. O programa atende a 19,2 milhões de pessoas que, em abril, migraram para o auxílio emergencial.

Com o fim do auxílio emergencial, a ideia de um novo programa foi lançada, inicialmente chamada de Renda Brasil e posteriormente denominada de Renda Cidadã, porém o presidente Jair Bolsonaro deu “cartão vermelho”.

Em suas redes sociais, Bolsonaro disse: “Congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade. Como já disse, jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos.” postou o presidente.

Calendário

Nesta terça-feira (29), 50,3 mil trabalhadores receberam a última parcela do auxílio, aqueles que possuem Cadastro Único e inscritos no site e aplicativo da Caixa Tem, nascidos em dezembro. Cidadãos que receberam quatro parcelas de R$600 irão receber a última de R$600. Aprovados que receberam de 1 a 3 parcelas recebem parcelas de R$ 600 restantes até a 5ª. Pessoas que já receberam todas as parcelas de R$ 600 (e qualquer número de parcelas de R$ 300) recebem a última parcela de R$ 300.

Ao longo do mês de janeiro será possível fazer o saque em espécie nas agências da Caixa Econômica Federal.

Print Friendly, PDF & Email