Em Sergipe, Bolsonaro pede que caminhoneiros não façam greve e afirma que Arthur Lira será próximo presidente da Câmara

Durante inauguração de ponte na BR-101, em Sergipe, Jair Bolsonaro dialogou com caminhoneiros, e disse que “se Deus quiser” Arthur Lira (PP-AL) ganhará eleições para presidência da Câmara

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) desembarcou em Aracaju no Aeroporto Santa Maria na manhã desta quinta-feira (28), e seguiu para o município de Propriá, em Sergipe, onde participou da inauguração e liberação de tráfego da nova ponte sobre o Rio São Francisco. Bolsonaro aproveitou para construir uma agenda positiva em relação a assuntos polêmicos. Ao seu lado estava o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. 

No evento no nordeste, ele foi até caminhoneiros que estavam à beira da BR-101 e passou quase meia hora em apertos de mãos e cumprimentos. Isso porque caminhoneiros estavam ameaçando greve após aumento do diesel, o chefe do Executivo pediu que a categoria não aderisse à greve, a paralisação está marcada para o dia 1° de fevereiro. 

Sobre as eleições para a presidência da Câmara, Bolsonaro aproveitou a deixa para defender sua posição, e afirmou que se “Deus quiser” Arthur Lira (PP-AL) será eleito, as votações internas acontecerão no dia 1° de fevereiro. 

“Amigos de Sergipe, amigos de Alagoas, se Deus quiser, segunda-feira teremos o segundo homem do Executivo, o segundo homem na linha hierárquica do Brasil eleito aqui do Nordeste, pela Câmara dos Deputados, o deputado Arthur Lira, se Deus quiser o nosso presidente”, disse Bolsonaro, durante a inauguração de uma ponte entre Sergipe e Alagoas.

A respeito de seu acompanhante, Ernesto Araújo, o presidente saiu em sua defesa sobre críticas destinadas ao ministro, pelas negociações com países produtores de vacinas, como Índia e China.

“Eu sempre digo: se ministro meu for elogiado pela mídia, ele corre o risco de ser demitido. Sem querer generalizar a nossa mídia, temos bons jornalistas, mas os figurões da mídia o tempo todo criticam o nosso Ernesto Araújo, o nosso homem que faz a ligação, que faz relações públicas com o mundo todo. E assim sendo, com essa equipe de ministros, fica bem mais fácil trabalhar.”

Bolsonaro comemorou dados divulgados pelo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontam que o Brasil encerrou 2020 com quase 143 mil novos empregos a mais que em 2019.

“Foi anunciado agora há pouco o dado do Caged, que é aquela relação de emprego e desemprego. E nós terminamos o ano de 2020 com mais gente de carteira assinada do que dezembro de 2019. Ou seja, mesmo durante a pandemia, tivemos perda de emprego em abril e maio, depois recuperamos isso daí”, celebrou.

Print Friendly, PDF & Email