“Está chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência”, afirma Bolsonaro

Presidente diz que não foi o governo federal que obrigou a população a ficar em casa e fechar o comércio. Ele prometeu que em breve o país voltará à normalidade.

Nesta segunda-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar as medidas restritivas impostas por governadores para conter a disseminação do novo coronavírus no país. Na cidade de Feira de Santana, na Bahia, Bolsonaro afirmou que está “chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência”.

Ele fez um discurso em evento para inauguração dos 22 quilômetros de duplicação da BR-101 entre os municípios de Feira de Santana e Esplanada, na Bahia. “Está chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência. Não podemos admitir alguns pseudogovernadores quererem impor a ditadura no meio de vocês, usando do vírus para subjugá-los. Nós tratamos a questão do vírus com muita responsabilidade, mas sempre disse que além do vírus, tínhamos que nos preocupar com a questão do desemprego”, afirmou.

Bolsonaro disse que “não foi o governo federal que obrigou vocês a ficarem em casa, não foi o governo federal que fechou comércio, não foi o governo federal que destruiu milhões de empregos. Pode ter certeza, esse suplício está chegando ao fim. Brevemente voltaremos à normalidade com o apoio de todos”.

Também discursaram na cerimônia o ministro da Cidadania, João Roma, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes. Ao lado de Bolsonaro, no evento, o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Antônio Santos Filho também foi lembrado pelo presidente. “O DNIT de outrora tão mal falado, e hoje, se encontra numa posição privilegiada. Por que? Nós demos liberdade pra ele trabalhar!”, sugeriu.

“Aqueles que criticaram os cortes nos orçamentos, foi cortado sim por uma questão técnica, mas com toda certeza brevemente pelas vias legais nós faremos a devida recomposição do nosso orçamento. O Brasil não pode e não vai parar”.

Antes de chegar ao local da cerimônia, Bolsonaro causou aglomeração cumprimentando apoiadores, sem usar máscara, no município de Conceição de Jacuípe.

Print Friendly, PDF & Email
Leia também:
Número de mortes por Covid-19 nas últimas 24h é o menor em 23 dias