FCO libera R$ 1,3 bilhão para estabelecimentos rurais em Goiás, segundo boletim Agro em Dados

Montante é referente ao período de janeiro a novembro de 2020. Do total, Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Agricultura, analisou 461 cartas-consultas que resultaram na aprovação de R$ 467,7 milhões em recursos. “Facilitar acesso ao crédito é meta do governador Ronaldo Caiado para possibilitar movimentação na economia e geração de emprego e renda”, afirma titular da Seapa, Antônio Carlos de Souza Lima Neto

Por meio de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) para Goiás, na modalidade rural, foi investido R$ 1,3 bilhão em estabelecimentos rurais goianos, de janeiro a novembro de 2020, através da contratação de 4.564 financiamentos no Estado. Desse montante liberado, a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) foi responsável pela análise técnica de 461 cartas-consultas, que resultaram na aprovação de R$ 467,7 milhões em recursos. Esse resultado integra a edição de janeiro do boletim Agro em Dados, publicado pelo Governo de Goiás, por meio da Seapa, e divulgado nesta sexta-feira, 8 de janeiro.

Ainda de acordo com a publicação, técnicos da secretaria fizeram a análise de cartas-consulta de produtores rurais de 123 municípios goianos, com a expectativa de criação de mil empregos diretos em Goiás. Cabe à Seapa analisar, de forma técnica, as propostas do setor rural, com valor igual ou superior a R$ 500 mil. Após avaliação, as cartas são submetidas à aprovação do Conselho de Desenvolvimento do Estado de Goiás (CDE).

Segundo o titular da pasta, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, as linhas de crédito do FCO Rural representam um importante estímulo ao desenvolvimento econômico e social de diferentes setores produtivos, principalmente porque atendem de mini a médio produtores rurais. “O Governo de Goiás tem buscado facilitar o acesso ao crédito no Estado, atuando junto ao setor produtivo para construir políticas que promovam a diversificação e a pulverização de recursos, como é o caso do FCO, com o intuito de alcançar maior número de produtores goianos”, reforça.

Bons resultados
O informativo Agro em Dados destaca ainda que o Valor Bruto de Produção (VBP) da agropecuária brasileira, para 2020, está estimado em R$ 885,8 bilhões, incremento de 15,1%, ante 2019. Os produtos com maior participação são a soja, carne bovina, milho, frango e cana-de-açúcar. A estimativa é de crescimento de 17,2% e faturamento de R$ 72,2 bilhões, sendo 67,6% da agricultura e, 32,4%, da pecuária.

Além disso, as exportações também se destacaram, com incremento na entrada de divisas no Brasil. Até o mês de novembro de 2020, o valor em dólares exportado pelo agronegócio brasileiro é o maior de toda a série histórica: US$ 93,6 bilhões. A participação de Goiás nesse montante é de 6,4%. De toda exportação realizada pelo Estado, no acumulado de 2020, 79,6% são de produtos do agro – montante de US$ 6,0 bilhões, valor 21,3% superior ao mesmo período do ano anterior. Além do aumento das exportações goianas, observa-se ampliação da pauta de produtos, especialmente de café, frutas, carne suína e açúcar.

O secretário Antônio Carlos de Souza Lima Neto entende que o trabalho, em conjunto, entre produtores e Governo de Goiás, e o empenho de todo o setor produtivo foram fundamentais para as conquistas do último ano. “2020, mesmo com todos os desafios, foi fundamental para que a agropecuária goiana pudesse reforçar sua importância social e econômica e demonstrar toda sua capacidade de se adaptar e se superar para atender às demandas de abastecimento”, ressalta. “Sem dúvidas, um ano que ficará marcado para todos nós. O agro não parou e não pode parar em momento algum, afinal, é responsável por garantir alimentos na mesa da população”, complementa.

Fruticultura
O Agro em Dados revela também que, em pleno Cerrado, a produção de uva tem conquistado espaço em Goiás, sendo que nove municípios goianos cultivaram a fruta no ano de 2019, em um total de 48 estabelecimentos rurais, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), publicados no boletim da Seapa. Destaque para Paraúna, Itaberaí e Hidrolândia. As condições climáticas aqui não são ideais, mas o uso de tecnologia de irrigação e cultivares mais adaptadas ao clima do Cerrado tem impulsionado a expansão da produção em Goiás.

As estatísticas da Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa Goiás), publicadas no Agro em Dados de janeiro, mostram que a comercialização de uvas no mês de novembro de 2020 movimentou R$ 4,7 milhões, o que representa 4,7% do grupo das frutas nacionais. Em peso, foram 542,8 toneladas, em que 15,2% tiveram origem em municípios goianos. “Os números demonstram oportunidade de mercado para o produtor goiano. O Governo de Goiás está atento a isso e tem apoiado e impulsionado a diversificação produtiva, com enfoque em fruticultura. Certamente, em breve, nosso Estado será destaque também nesse tipo de cultura”, finaliza o secretário Antônio Carlos de Souza Lima Neto.

Print Friendly, PDF & Email