Frejat morre aos 83 anos vítima de um câncer e deixa o seu legado na saúde do DF

Jofran Frejat foi titular da Secretaria de Saúde do Distrito Federal por quatro vezes. Durante sua gestão foram inaugurados os hospitais da Ceilândia (HRC), da Asa Norte (Hran), do Paranoá e o Hospital de Apoio

O ex-secretário de Saúde Jofran Frejat (PL), de 83 anos, morreu na tarde dessa segunda-feira (23), vítima de complicações causadas por um câncer pulmonar. Frejat estava internado havia 17 dias no Hospital Santa Lúcia, Asa Sul. Ele descobriu o câncer enquanto fazia um tratamento de um cálculo renal. Frejat foi um dos políticos mais queridos pela população do Distrito Federal, sobretudo o eleitorado mais simples, fiel ao ex-governador Joaquim Roriz, que o introduziu na vida pública.

Segundo a filha do político, Graziela Frejat (46), “Ele estava há cinco dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), muito abatido e fraco”. Frejat passou por duas sessões de quimioterapia, mas estava muito fragilizado durante o tratamento. “Todos estão muito abalados com a notícia. Ele foi um exemplo de força e de luta. Um gladiador”.

“Meu pai deu o maior exemplo de vida pra gente. Ele abdicou da vida particular pra se doar ao povo”, disse Graziela Frejat.

Trajetória

Jofran Frejat foi um médico político brasileiro, filiado ao Partido Liberal (PL) e deputado federal pelo Distrito Federal por cinco mandatos. Nasceu em Floriano (PI) em 19 de maio de 1937. Em 1957 transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde cursou medicina na Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro.

Em Brasília, foi quatro vezes secretário de Saúde, entre 1979 e 2002. Durante sua gestão, foram construídos ou inaugurados os hospitais da Ceilândia (HRC), da Asa Norte (Hran), do Paranoá e o Hospital de Apoio.

Ainda na década de 1970, Jofran Frejat elaborou um plano de saúde com modelo na estratégia do cuidado primário prestado em postos e nos centros de saúde. Seu projeto é debatido até hoje para a melhoria e solução para desafogar as emergências. A proposta também previa a construção de hospitais em cada região administrativa do DF e hospital de base referência.

“O Frejat foi um cidadão que trabalhou e militou a vida toda pela saúde. Defensor do Sistema Único de Saúde (SUS), uma de suas políticas mais importantes foi implantar um sistema hierarquizado de saúde no DF. Brasília já teve a melhor saúde do país. Hoje, infelizmente, [o sistema está] sucateado”, disse o amigo de Frejat e presidente do Sindicato dos Médicos do DF (sindimédicos), Gutermberg Fialho.

Em 1980 foram construídas mais de 40 unidades de saúde, como postos e centros, para consolidação do Plano de Assistência à saúde.

Em 1986, Frejat, foi eleito pela primeira vez deputado federal, participando da Assembleia Nacional Constituinte e da elaboração da Constituição Federal de 1988.  

Em 1987 assumiu o cargo de deputado federal, cargo que ocupou por cinco mandatos. Frejat iniciou a vida política no PFL (atual DEM) e passou também pelo PP, PPB e PTB, antes de se filiar ao PR, em 2007.

Nas eleições de 2014, concorreu ao segundo turno na disputa pelo Palácio do Buriti, mas perdeu para Rodrigo Rollemberg (PSB).

Em 2018, como pré-candidato ao governo de Brasília, ele chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto. No entanto, desistiu de concorrer.

Políticos

O senador Izalci Lucas lamentou a morte do seu antigo companheiro de política. “Foi com muita tristeza que recebi a notícia da morte de Frejat, amigo e mestre. Um exemplo de ser humano. Jofran Frejat médico, Jofran Frejat deputado, Jofran Frejat gestor público era sempre o mesmo Frejat, aquele que fazia o bem sem olhar a quem. Dedicou a maior parte de sua vida ao nosso Distrito Federal como médico, deputado federal e Secretário de Saúde. Para nós que aqui ficamos, o que nos consola é que ele sempre estará presente no imenso legado que deixa pela sua história de vida, trabalho, honestidade e amor ao próximo”.

O líder do governo na CLDF, o deputado Cláudio Abrantes (PDT), lembrou que a escola Superior de Ciências da Saúde do DF (ESCS) foi um dos legados deixados do Frejat. “Despede-se de Brasília um homem que deixa um vasto histórico de trabalho por Brasília. Jofran Frejat foi um dos políticos mais importantes da capital, e um dos legados que deixa é a criação da Escola Superior de Ciências da Saúde do DF (ESCS). À família, minha solidariedade e meus votos de paz. Que Deus conforte os corações de todos e receba dr. Jofran Frejat de braços abertos”.

O ex-governador Rodrigo Rollemberg comentou, “Acabei de receber, com muita tristeza, a informação do falecimento de Jofran Frejat. Embora adversários na eleição de 2014, sempre mantive com Frejat uma relação de respeito e diálogo. Frejat exerceu a política com dignidade e tinha minha admiração. Que Deus conforte a sua família , seus amigos e seus admiradores”.

Ex-vice governador do DF e deputado federal, Tadeu Filippelli também se manifestou. “Caminhamos juntos por diversas vezes no governo Roriz, quando esteve à frente da Secretaria de Saúde, na qual fez um excelente trabalho pelo Distrito Federal. Pela admiração e respeito que tinha, cheguei a apoiá-lo nas últimas eleições ao Governo, mas por circunstâncias políticas retirou sua pré candidatura. Também representou o DF no Congresso Nacional, como deputado federal por cinco mandatos”.

Flávia Arruda, deputada federal, lamentou a morte de Frejat. “Foi com muita tristeza que recebi a notícia da morte de Frejat, amigo e mestre. Um exemplo de ser humano. Jofran Frejat médico, Jofran Frejat deputado, Jofran Frejat gestor público era sempre o mesmo Frejat, aquele que fazia o bem sem olhar a quem”.

A senadora Leila Barros lamentou a morte do político. “Perdemos um homem que lutou pelo SUS e foi um dos responsáveis pela criação da Faculdade de Ciências de Saúde do DF.”

O governador Ibaneis Rocha se manifestou através de uma nota de pesar.

Íntegra da nota

“Jofran Frejat é um exemplo que eu segui e espero continuar seguindo na vida pública. Para mim, sempre foi um modelo de político.Sua dedicação fez do Distrito Federal uma referência no tratamento da saúde pública. Foi deputado federal atuante, constituinte, enfim, um homem que dedicou sua vida ao serviço público. Nos aproximamos na época da última eleição para governador, quando cheguei a abrir mão de minha candidatura para apoiá-lo, até que ele desistiu da disputa. Frejat deixa um legado de retidão e honestidade que deve servir de parâmetro a qualquer pessoa que pense em atuar na política e no serviço público. Vai fazer uma falta imensa a todos nós.”

Jofran Frejat deixa a esposa, quatro filhos e seis netos. “Deixa um legado muito bonito. Veio para Brasília tentar a vida e desenvolver um modelo de Sistema Único de Saúde para o Brasil inteiro. Sempre se dedicou às pessoas e à vida pública. Era um ser humano incrível”, descreveu Graziela.

Luto

O governador de Brasília, Ibaneis Rocha, decretou nessa segunda-feira (23) três dias de luto pelo falecimento do médico.

Print Friendly, PDF & Email