GDF inaugura mais três clínicas para castração de cães e gatos

As clínicas são Centro Veterinário do Gama, Centro Veterinário Dr. Juzo (Samambaia) e Pet Adote (Paranoá). A duração dos contratos é de seis meses

O Instituto Brasília Ambiental assinou contrato com três clínicas veterinárias para realizar cirurgias dentro do Programa de Castração de Cães e Gatos do órgão ambiental. 

 Os acordos foram publicados no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (4), e as clínicas são Centro Veterinário do Gama, Centro Veterinário Dr. Juzo (Samambaia) e Pet Adote (Paranoá). A duração dos contratos é de seis meses.

O Programa de Castração de Cães e Gatos do Brasília Ambiental, que existe desde 2017, faz parte do planejamento estratégico e do plano plurianual vigente no órgão, com metas pactuadas. O edital de credenciamento das clínicas, que resultou na seleção das três, integra essas metas.

“Esse edital foi parte da estratégia para darmos continuidade a essa política pública que visa atender a população que demanda por castração de cães e gatos”, explica Rogério de Castro, membro da Comissão de Avaliação do Credenciamento de Estabelecimentos Prestadores de Serviços na Área Veterinária para castração de cães e gatos.

Com relação ao início dos atendimentos à população, o chefe da Unidade de Gestão de Fauna (Ufau) do instituto, Marco Aurélio Oliveira Barboza, informa que até junho deve ser aberta mais campanha. Os interessados na castração dos animais devem ficar atentos às campanhas, que podem ser divulgadas nas mídias sociais e/ou no site do órgão ambiental.

De sua criação para cá, o programa trabalhava apenas com uma clínica no Gama. Por isso, esse número maior de possibilidades de castração a ser oferecido à população é considerado um avanço. “É o começo da descentralização desse serviço, o que é muito benéfico para a população”, destaca Rogério.

A Comissão de Avaliação foi instituída em 2020, e o edital, lançado ao final do ano passado. A data final para os estabelecimentos interessados apresentarem suas propostas era até 25 de abril. Foram recebidas, inicialmente, cinco propostas, das quais duas clínicas desistiram.

A comissão fez visitas técnicas às três proponentes que permaneceram e, nesse processo de avaliação, contou com a ajuda do Conselho Regional de Medicina Veterinária, cujos fiscais também estiveram nas clínicas.

Nas visitas de avaliação, foi observada, principalmente, a capacidade técnica das clínicas para fazer as cirurgias de castração. Além disso, foram avaliados os documentos exigidos no edital, como certidões de regularidade, comprovação de experiência e política de gerenciamento de resíduos sólidos, entre outros.

As três clínicas cumpriram todos os requisitos previstos no edital. Uma quarta clínica apresentou proposta dentro do prazo de credenciamento e está na fase de avaliação. Por isso, existe a possibilidade de o órgão assinar um quarto contrato.

Com informações do Instituto Brasília Ambiental

Print Friendly, PDF & Email