GDF investe 1,5 mi para a reforma da Praça do Povo

A praça será reformada por um grande projeto que contempla acessibilidade, paisagismo, drenagem, calçadas e mobiliário urbano

O GDF vai investir 1,5 mi para a reforma da Praça no Povo, ponto de referência no Setor Comercial Sul (SCS), por meio de um projeto que contempla acessibilidade, paisagismo, drenagem e mobiliário urbano. A obra vai gerar 60 postos de empregos e tem previsão de ser concluída ainda este ano. A ordem de serviço foi assinada na manhã de quinta-feira (11) pelo governador Ibaneis Rocha.

A praça do Povo fica localizada na Quadra 3 do SCS e pelo menos 150 mil pessoas transitam diariamente por ela. A reforma da praça, que tem 2,8 mil m², contempla essas duas frentes e cria novas possibilidades de utilização dos espaços públicos, transformando becos em praças, permitindo a multifuncionalidade do local para prática do skate e apresentação de espetáculos e ordenando áreas para quiosques.

“Estou muito feliz, pois, mesmo em época de pandemia e com todas as dificuldades, o Distrito Federal não para”, declarou o governador Ibaneis Rocha. “É este governo mostrando que vai trabalhar cada vez mais pela população em todas as áreas. É um dia de felicidade”.

Presente ao ato de assinatura, o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), Mateus Leandro de Oliveira, destacou a iniciativa do governo: “É um passo importantíssimo para a revitalização de todo o Setor Comercial Sul. O projeto de autoria da Seduh tem como objetivo oferecer um espaço público de qualidade, com foco no pedestre e com atendimento a todas as normas de acessibilidade”.

O secretário de Obras, Luciano Carvalho, também destacou a obra e projetou futuros investimentos. “É uma área central de Brasília, muito degradada, com poucos investimentos nos últimos anos”, destacou. “Essa deve ser apenas a nossa primeira ação no SCS; temos em andamento outros projetos para a área, como a Quadra 5. Esperamos voltar lá com novos anúncios para a região e a valorização imediata para a área”.

Praça

Leia também:
PMDF, ONGs e Órgãos do GDF se unem para ação no SCS

A região vem enfrentando problemas de degradação pela falta de manutenção, insegurança, interrupção do fluxo de pedestres, falta de acessibilidade, poluição visual e invasões de espaços públicos, entre outros fatores.

O projeto vai resolver essas questões e se justifica pela grande convergência e fluxo de pessoas que transitam na região e passam por locais, como Rodoviária do Plano Piloto, Hospital de Base, Setor Hoteleiro Sul, Shopping Pátio Brasil, Setor Bancário Sul e Setor de Diversões Sul.

Segundo a Seduh, a eliminação das barreiras físicas existentes no perímetro da praça norteou as decisões de projeto, o que proporciona uma maior permeabilidade por todos os lados da praça.

“O nosso foco no SCS é mobilidade e acessibilidade”, resume o diretor de Parque e Espaços Livres da Coordenação de Projetos da Seduh, Clécio Rezende. “Na Praça do Povo, a ideia foi recuperar o piso com a implantação das placas, colocação de rampas e tudo o que amplie o uso do local; criar elementos que fomentam a realização de eventos durante o dia e à noite, criar estruturas com ombrelones, que formam uma espécie de cobertura iluminada”.

A nova Praça do Povo vai contar com acessibilidade com instalações de placas pré-moldadas, esculturas e áreas de sombreamento e iluminação.

Leia também:
PMDF, ONGs e Órgãos do GDF se unem para ação no SCS

Reforma

Maior acessibilidade, com sinalização adequada; paisagismo; piso com placas de concreto em diferentes tons, revestimento de concreto para as novas escadas e arquibancadas; sombreiros metálicos para melhorar a iluminação da praça; novos bancos de concreto; lixeiras.

Print Friendly, PDF & Email