GDF, Justiça Federal e MPs divergem sobre reabertura do comércio

Ibaneis diz que há uma intervenção indevida no Poder Judiciário 

Após justiça proibir a flexibilização do distanciamento social, comerciantes marcam manifestação para esta terça-feira (23), às 10h, no Setor de Autarquias Sul. Ontem, o governador Ibaneis Rocha (MDB) considerou a decisão liminar que impede novas flexibilizações no DF como “uma intervenção indevida do Poder Judiciário”

Não foi a primeira vez que a Justiça Federal exigiu do DF dados sobre a situação social e da saúde no período de crise. Na manhã de ontem, Ibaneis criticou o impedimento imposto e afirmou que tem tratado a pandemia com responsabilidade — a agenda teve participação do presidente da República, Jair Bolsonaro. “Por uma das vias, da 3ª Vara (Federal), entenderam que não posso mais decidir. Tiraram meus poderes. 

Os ministérios públicos Federal (MPF), do Trabalho (MPT) e do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) divulgaram, ontem, uma nota criticando as medidas de flexibilização adotadas na capital. “Após mais de três meses da primeira recomendação feita pelo Ministério Público, o Governo do Distrito Federal ainda não demonstrou pautar as liberações em critérios técnico-científicos. (…) Antecipar medidas enquanto se anuncia que o pico da doença ocorrerá no mês de julho, como faz o GDF, é colocar a perder todo o esforço e sacrifício feitos no início da pandemia, tornando ainda mais longa a espera pela normalidade”, ressaltaram os Ministérios Públicos.

Print Friendly, PDF & Email