GDF leva serviços e ações às mulheres do Assentamento Chapadinha

Primeira edição do Secretaria da Mulher no Campo atendeu 550 pessoas com serviços de saúde, oficinas profissionalizantes e emissão de documentos

Maria do Carmo de Souza tem 65 anos e há 16 tira seu sustento da terra. Ela aprendeu a plantar mandioca, pimentão e batata. Depois, passou a fazer virar dinheiro os produtos que nascia no seu terreno. Hoje, vende banana, repolho, tomate e outros hortifrutis em feiras pela cidade. “O governo passou a ver a gente, então, alavancamos o nosso próprio negócio. Isso é uma conquista para todos nós”, comemora.

A produtora rural foi uma das moradoras do Assentamento Chapadinha, localizado no Lago Oeste, em Sobradinho, que recebeu a ação de lançamento do programa Secretaria da Mulher no Campo.

O evento contou com a participação das Secretarias de Turismo (Setur); Saúde (SES); Educação (SEEDF); Justiça (Sejus); Segurança Pública (SSP); Desenvolvimento Social (Sedes); Mobilidade (Semob) e do Trabalho (Setrab); além da Emater, Defesa Civil, Conselho Tutelar, Caesb, Administração de Sobradinho e Sobradinho II e parceiros não governamentais.

“A gente reconhece a importância de trazer as iniciativas para a área rural. Estamos aqui lançando este projeto para dar visibilidade e reunir as pastas do governo para trazer políticas, ações, serviços, oportunidades e cuidados para as comunidades rurais”, reforçou a secretária da mulher, Ericka Filippelli.

“O Fórum Permanente das Mulheres do Campo e do Cerrado existe desde 2015 e foi criado, justamente, porque, se as políticas públicas, muitas vezes, não alcançam as mulheres da cidade, imagina a dificuldade que é para chegar às mulheres do campo”, acrescentou a secretária.

Janaína Romualdo, de 38 anos, é coordenadora do acampamento Marielle Franco, localizado em São Sebastião, além de diretora de reforma agrária da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Distrito Federal e Entorno (Fetraf-DFE). Ela luta para que a população rural do DF alcance mais oportunidades e destaca a importância da presença governamental para auxiliar as mulheres do campo.

Leia também:
Caravana Desenvolve DF desembarca em Ceilândia

“É muito importante que essas ações venham até nós, até a área rural. Porque são mulheres que, muitas vezes, ficam esquecidas, têm dificuldade de locomoção, pouco acesso à informação e não têm acolhimento ou auxílio para saúde tão próximo. Um evento como esse, com tantas secretarias reunidas para apoiar a comunidade, pode mudar a vida dessas mulheres”, afirma.

Atendimento
Ao todo, 550 pessoas foram atendidas durante a primeira ação do Secretaria da Mulher no Campo. Elas tiveram acesso a abordagem psicossocial, conversas educativas sobre direitos, legislação e formas de combate à violência de gênero; além de receber orientações sobre como participar das oficinas de capacitação, gratuitas e virtuais, voltadas à autonomia financeira e econômica da mulher, oferecidas pela SMDF.

As mulheres também puderam fazer inscrições no Cadastro Único, da Sedes e no Programa Prospera, da Setrab. Os moradores do assentamento ainda participaram da oficina de pintura oferecida pela SSP.

Leia também:
GDF lança o II Plano Distrital de Políticas para Mulheres

A Secretaria de Saúde promoveu diversas ações voltadas à prevenção e ao cuidado com a saúde da mulher e ofereceu agendamento de exame citopatológico, vacinação contra influenza e hepatite, além da realização de testes rápidos de hepatite B e C, HIV e sífilis.

Ainda teve palestra com sucesso de público: mulheres, homens e crianças foram orientados sobre como manter a saúde bucal e receberam kits de higiene dental ao final das explicações.

Incentivo a talentos

A Emater-DF esteve presente e levou ao assentamento oficinas técnicas, como a de cultivo de suculentas, mas também ofereceu atendimentos sobre cultivos diversos e inclusão de produtores em projetos e ações da empresa. O Assentamento Chapadinha é referência na produção de orgânicos e recebe assistência da Emater-DF.

Leia também:
Leite e mais saúde para famílias em vulnerabilidade social

A presidente da empresa, Denise Fonseca, destacou a importância da união de órgãos do governo para levar serviços essenciais para as mulheres do campo e toda a comunidade.

“A vitória da Secretaria da Mulher é a vitória da Emater-DF, é a vitória do governo, que se une para levar oportunidade e dignidade para o campo. Essa ação vai fortalecer a inclusão da mulher em políticas públicas. Temos muito ainda a conquistar, mas juntos ainda vamos fazer muito mais”, ressaltou.

Os artistas locais também puderam aproveitar a oportunidade para solicitar a emissão da carteira de artesão. O documento oferece a esses trabalhadores a oportunidade de participar de feiras locais, regionais e nacionais e dar visibilidade a suas produções.

A Setur colocou as ações de qualificação do artesanato à disposição das mulheres e homens do Assentamento Chapadinha. “Nossa equipe está aqui para identificar as pessoas que precisam de um olhar mais atencioso e tenham o desejo de se qualificar no ofício de artesão para receber a Carteira Nacional do Artesão. A carteira é um passaporte para a dignidade, autonomia econômica e empoderamento pela profissionalização”, afirmou a secretária Vanessa Mendonça.

Leia também:
Para André Clemente, o GDF fez a sua parte sobre a redução do ICMS

A iniciativa é realizada de acordo com as demandas apresentadas pelas mulheres participantes do Fórum Distrital Permanente das Mulheres do Campo e do Cerrado. Além do Secretaria da Mulher no Campo, foi lançado no mesmo evento o selo do Fórum, elaborado com a participação de suas integrantes e que será usado para identificar os produtos elaborados por elas.

No dia 16 de julho, o Secretaria da Mulher no Campo estará no Assentamento Oziel Alves, em Planaltina. Em agosto, haverá ações no Núcleo Rural Fazenda Larga, Planaltina; no Assentamento 1° de Julho, em São Sebastião, e no Assentamento Renascer Palmares, em Planaltina, com datas a serem confirmadas.

*Com informações da Secretaria da Mulher

Print Friendly, PDF & Email