GDF oferecerá auxílio de R$ 31 mi a famílias carentes para compra de material escolar

Papelarias que desejarem se cadastrar no sistema para fazer o credenciamento deverão se inscrever de 27 de janeiro a 12 de fevereiro

O Governo do Distrito Federal (GDF) inicia os preparativos para conceder auxílio a famílias carentes que têm filhos matriculados na rede pública de ensino. O orçamento é de R$ 31 mi em 2021.

No dia 27 de janeiro estará aberto o prazo de cadastramento para papelarias que quiserem vender por meio do programa Cartão Material Escolar deste ano. Em 2020, 424 estabelecimentos foram habilitados para participar do programa. Para 2021, a expectativa é credenciar entre 450 e 500 papelarias e beneficiar mais estudantes.

O credenciamento deve ser feito pelo e-mail: credenciamento.papelarias@semp.df.gov.br. As papelarias devem enviar, de forma digitalizada, o CNPJ, o Cadastro Fiscal do Distrito Federal, o contrato social, a certidão negativa de débitos trabalhistas e de tributos federais atualizada, entre outras certidões. Qualquer empresa do DF de todos os potes, incluindo microempreendedores individuais (MEIs). O prazo para a inscrição vai até 12 de fevereiro.

A lista completa de documentos, assim como o edital de chamamento público publicado no Diário Oficial do DF em 24 de dezembro de 2020, está disponível no site da Secretaria de Empreendedorismo.

Danilo Ferreira, Coordenador do Cartão Material Escolar 2021 e Subsecretário de Fomento ao Empreendedorismo, diz que o programa descentraliza as compras de governo e é fundamental para o fomento ao empreendedorismo no DF. “Antigamente o GDF contratava uma ou duas empresas no máximo, e esse dinheiro geralmente ia para fora do Distrito Federal; agora, com essa descentralização, o GDF injeta esses R$ 31 milhões diretamente na economia”, explica. “O governo é o maior comprador do DF e, com esse programa, consegue fomentar os pequenos negócios”.

Cada empresa inscrita no Cartão Material Escolar vendeu em 2020, em média, R$ 71,8 mil.

Crédito                                            

A Secretaria de Educação (SEE) ainda não definiu quando o dinheiro estará disponível, pois as matrículas do ano letivo ainda não foram efetivadas e não há definição da lista do material, por enquanto.

Apenas famílias cadastradas no Bolsa Família recebem o benefício. Alunos do ensino infantil, do fundamental e do especial recebem R$ 320 e estudantes matriculados no ensino médio recebem R$ 240.

Diele Paulino de Melo (30), recebeu R$ 640 referentes ao custeio de material das duas filhas gêmeas de 5 anos. Antes de saber que seria beneficiada, ela foi até a papelaria e comprou os itens de uma lista de material para serem divididos entre as meninas. “Aí, quando saiu o dinheiro, voltei à papelaria e comprei outra lista”, conta. “Como já tinha comprado metade dos materiais, complementei os produtos. Comprei mochila, lancheira, estojo, lápis de cor, tudo do bom e do melhor, como nunca pude dar. Está tudo guardado em uma caixa aqui em casa para elas usarem de novo”.

Print Friendly, PDF & Email