Gilson Machado é nomeado como novo ministro do Turismo

O ex-ministro do Turismo, Álvaro Antônio, foi demitido após chamar ministro da Secretaria do Governo de “traíra” porque estaria trabalhando para entregar o ministério do turismo ao Centrão

O presidente Jair Bolsonaro demitiu nessa quarta-feira (9), o ministro do Turismo Marcelo Álvaro (PSL). A demissão foi publicada na madrugada desta quinta-feira no Diário Oficial da União (DOU). A mesma edição traz a nomeação de Gilson Machado como o novo ministro para assumir o cargo.

Marcelo Álvaro, o ex-ministro, em um grupo no WhatsApp, acusou o chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, de ser “traíra” e de conspirar para tirá-lo do cargo de ministro para entregar o cargo para o Centrão.  

No fim da tarde de quarta-feira, Bolsonaro disse a apoiadores no Palácio da Alvorada “Tá sabendo do Gilson ou não? Tá sabendo do Gilson? Ministro… O Gilson é um cara muito competente nessa área. O outro tava fazendo um bom trabalho também, né, mas deu problema aí”.

Gilson Machado

Gilson Machado (52) é empresário, músico e veterinário. Em 2018, ainda no governo de transição, coordenou a equipe nas pastas do Turismo e Meio Ambiente. O novo ministro costuma acompanhar Bolsonaro em viagens. Ele também é frequentemente convidado por Bolsonaro para tocar sanfona nas “lives” realizadas todas as quintas-feiras pelo presidente no Palácio da Alvorada.

Na Embratur, era responsável pela execução da Política Nacional de Turismo, no que diz a respeito à promoção, marketing e apoio à comercialização dos destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional.

No último dia 3, Machado fez um apelo para que prefeitos e governadores não endureçam medidas tomadas para manter o distanciamento social. “Queria aproveitar esse momento para fazer um apelo aos governadores, aos prefeitos, enfim, a quem está com a decisão de fechar um lockdown. O nosso ‘case’ turístico, o nosso ‘trade’ turístico não aguenta mais um segundo fechamento coletivo”, afirmou.

 Em 24 de junho deste ano, Machado criticou a peça “O evangelho segundo Jesus, Rainha dos Céus”, em que Cristo é interpretado como uma mulher transexual. “Eu não tenho nada contra quem usa seu orifício rugoso infralombar para fazer sexo. Mas querer impor a sexualidade a uma grande maioria de cristãos e querer desvirtuar a forma que Jesus Cristo veio à Terra… Está escrito na Bíblia: Jesus Cristo nasceu, cresceu, foi crucificado e ressuscitou em forma de homem. Maria, sim, essa foi uma grande mulher, que acompanhou todo seu sofrimento”, afirmou Machado.

Print Friendly, PDF & Email