Governo do DF descarta lockdown em conjunto com o Entorno

Prefeitos de cidades do Entorno analisam forma de combater o avanço do vírus da covid-19, e propõem implementar lockdown em parceria com capital

Após a Secretaria de Saúde de Goiás (SES-GO), informar que a situação no estado é de calamidade devido ao aumento da incidência do novo coronavírus, o Governo do Distrito Federal afirma que não vai adotar medidas rígidas de isolamento na capital. Prefeitos das cidades goianas estudam medidas para frear a disseminação do vírus pressionando o governador Ibaneis Rocha (MDB) a adotar o lockdown.

Os prefeitos de Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Luziânia, Novo Gama, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás, pediram ao secretário de Saúde de Goiás que trate com o GDF uma forma de definir estratégias em conjunto, já que milhares de moradores das regiões circulam diariamente na capital federal.

Até o momento Ibaneis Rocha não mostrou interesse em colaborar com as cidades da Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (Ride), e afirmou, “O Entorno é responsabilidade do Ronaldo Caiado (governador de Goiás)”.

Em relação ao percentual de ocupação dos leitos de UTIs para pacientes com a Covid-19 no Goiás, a Secretaria de Saúde, afirma que 91,78% dos leitos estão comprometidos. São 380 vagas e 335 pacientes internados. O Goiás tem população de 6,523 milhões de pessoas, quase o dobro do Distrito Federal. No DF cerca de 23,6% das pessoas com covid-19 internadas em unidades de terapia intensiva (UTIs) na rede pública são de outras unidades da Federação, sendo 9,4% de Goiás.

Diante disso o governador Ibaneis Rocha, afirma: “O Governo de Goiás está negligenciando seus pacientes. Sem leitos e hospitais, transfere a obrigação de cuidar de sua população a nós, do DF. Não me furto a essa missão, mas está chegando a um ponto em que a gente precisa chamar a atenção do governador”. Ibaneis completa, “Preciso que o governador de Goiás cuide da nossa população. Senão, fecharemos a divisa”, pontuou.

Entorno

Leia também:
STJ determina afastamento do governador do Tocantins por 6 meses

No entorno a situação é preocupante, prefeitos se reuniram no começo desta semana para tratar sobre o assunto e informaram que aguardam uma reunião com o Executivo do DF para debater sobre as medidas restritivas.

O prefeito de Luziânia (GO), Diego Sorgatto, disse: “Nossa expectativa é a de que até o fim desta semana possamos chegar a um entendimento, juntamente com o Governo do Distrito Federal, e assim fazer um decreto em conjunto para toda região”.

A infectologista Ana Helena Germoglio, do Hospital de Águas Claras, considera que, neste momento, seria mais importante investir na conscientização da população sobre medidas sanitárias.

“Sempre houve essa interdependência das cidades do Entorno com o DF. Por isso, o lockdown não seria a melhor opção. É preciso que a população colabore e siga as medidas de prevenção e que os gestores direcionem recursos da melhor forma possível”, avalia Ana Helena.

Na cidade de Valparaíso os órgãos de fiscalização e segurança passaram a percorrer a cidade com carros de som, pedindo mais conscientização dos moradores.

“Se for sair, use máscara, respeite o distanciamento e mantenha as mãos limpas. A pandemia não acabou”, anunciava o veículo.

Pandemia no DF

Leia também:
Falta de saneamento básico causa mais de 273 mil internações em 2019

Na segunda-feira (22), o DF chegou a 290.771 infectados pelo novo coronavírus e o total de mortes soma 4.766, segundo dados da Secretaria de Saúde. Além disso, a ocupação de leitos de UTI para pacientes com a doença na rede pública chegava a 90,3%.

Print Friendly, PDF & Email