Homem que cometeu feminicídio no DF vai a júri popular

Alan Fabiano matou sua ex-namorada com pelo menos 48 facadas nas costas, no momento que a vítima ia entrar em seu apartamento

O assassino, Alan Fabiano Pinto de Jesus, será julgado por júri popular por decisão do juiz Paulo Rogério Santos Giordano, nessa segunda-feira (23), o homem matou sua ex-namorada, servidora do TSE com 48 facadas, em dezembro de 2019.

O réu está preso e será mantido assim, pois foi dito pelo juiz que o criminoso é um perigo à sociedade, “Trata-se de indivíduo que esteve sujeito a ordem de afastamento da vítima, e que tão logo obteve a revogação da medida, a teria matado depois de premeditar o crime, demonstrando que, em liberdade, é um perigo à sociedade, incluindo-se parentes da vítima” afirma.

O acusado afirmou que a vítima se suicidou com pelo menos 48 facadas nas costas, algo que pelas análises apresentadas pelos peritos criminais não aconteceu, o juiz diz que as provas são suficientes para que ele seja declarado culpado, mas que o júri irá analisar o caso.

“Assim, as provas são suficientes ao menos para evidenciar que o réu esteve no local dos fatos com a vítima no momento da morte, cabendo aos jurados avaliar se a vítima se suicidou, como em parte de sua narrativa o acusado insinuou, ou se o réu a matou com ao menos 48 golpes de instrumento perfurante” disse o Juiz.

Print Friendly, PDF & Email