Ibaneis pretende vacinar professores até março e mantém restrições a bares e restaurantes

Ibaneis Rocha (MDB) pretende seguir o Plano Nacional de Vacinação do governo federal e não pretende comprar a vacina russa fabricada pela Bthek Biotecnologia

Nesta segunda-feira (25), durante visita à fábrica Bthek Biotecnologia, no Polo de Desenvolvimento JK, em Santa maria, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) afirmou que manterá restrições a bares e restaurantes para impedir o avanço do novo coronavírus no DF.

 Os estabelecimentos estão encerrando as atividades às 23h00. Segundo Ibaneis, houve uma resposta positiva e uma diminuição no número de casos.

“A gente entende a reclamação de todos eles [empresários e comerciantes], sabemos do impacto que ocorre na parte da economia, mas temos de nos preocupar com a nossa rede hospitalar e com a saúde da população, que nesse momento é o prioritário”, enfatizou.

“Nós temos de cuidar da saúde da nossa população. Isso, para nós, é mais prioritário do que abrir [para além do horário estabelecido atualmente] bares e restaurantes”.

“Aqui no Distrito Federal, da maneira como está, nós conseguimos conduzir a crise sem nenhum tipo de problema e sem necessidade de maiores restrições. Então, com a população obedecendo, utilizando máscaras, tendo o distanciamento social e tomando os cuidados devidos, nós conseguimos levar a crise até que a vacina seja distribuída para toda a população”.

Vacinação

Além disso, Ibaneis disse que pretende vacinar todos os professores até março. “Eu espero que até março, no início das aulas, a gente possa vacinar os nossos professores, para iniciar também as aulas (da rede pública) no Distrito Federal de forma presencial”, declarou.

“O retorno das aulas presenciais está previsto para 8 de março. Nós queremos proteger os nossos professores, para que a gente possa ter um nível de segurança maior”.

Ibaneis disse que o governo local não pretende comprar a vacina russa fabricada pela Bthek Biotecnologia, após eventual autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Aqui no DF eu sigo o Plano Nacional de Imunização, e tem dado certo. As vacinas que têm chegado são distribuídas de forma racional pelo Ministério da Saúde. O ministro Pazuello (Eduardo Pazuello, ministro da Saúde) tem feito essa distribuição de forma proporcional. Então, eu acredito que não deva se instalar uma corrida entre os estados para a compra da vacina. Nós temos de ter a vacina em quantidade para toda a população brasileira, porque, senão, nós não vamos conseguir atingir o que nós todos pretendemos, que é a imunização da população como um todo, diminuindo essa doença em todo o país”, concluiu o governador.

Print Friendly, PDF & Email