Ibaneis sanciona lei que cria universidade do Distrito Federal, a UnDF

Governo vai investir R$ 200 milhões em quatro anos e abrir concurso público para servidores

Na manhã desta quarta-feira (28), o governador Ibaneis Rocha (DMB) sancionou a lei que autorizou a criação da Universidade do Distrito Federal (UnDF) Jorge Amaury. A instituição será a primeira a ser administrada pelo Governo do Distrito Federal, e a segunda universidade pública do DF.

Ibaneis, que fez sua primeira aparição pública como governador depois das férias e após ser internado no último fim de semana, fez projeções a partir da criação da UnDF.

O projeto começou a tramitar na Câmara Legislativa do DF (CLDF) em março de 2020 e, desde então, passou por emendas e debates entre os distritais.

“A criação da UnDF estava prevista desde a Lei Orgânica, são mais de 30 anos aguardando essa universidade. E nós temos a honra de sancionar o projeto e dar início aos trabalhos da universidade. Agora começam os trabalhos de estruturação. Em agosto devemos lançar o concurso público para a contratação dos professores e, a partir do ano que vem, esperamos começar as aulas nos cursos que estão estabelecidos”, ressaltou Ibaneis Rocha.

Segundo governador, a expectativa é de que em cinco anos a universidade distrital esteja em pleno funcionamento. “Essa universidade vem com tudo, e a gente espera que daqui pra frente ela cresça em todo o Distrito Federal, ajudando principalmente as famílias das pessoas mais carentes”, reforçou.

Leia também:
Secretaria de Saúde abre seleção de mil agentes comunitários e de combate à dengue

Graduações

  • Ciências humanas
  • Cidadania e meio ambiente
  • Gestão governamental de políticas públicas e de serviços
  • Educação e magistério
  • Letras, artes e línguas estrangeiras modernas
  • Ciências da natureza e matemática
  • Educação física e esportes
  • Segurança pública e defesa social
  • Engenharias e áreas tecnológicas de setores produtivos
  • Arquitetura e urbanismo
  • Ciências da saúde

Jorge Amaury

A solenidade de hoje homenageou ainda Jorge Amaury, professor de Direito processual na graduação, mestrado e doutorado da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB). 

Advogado e professor de direito da Universidade de Brasília (UnB) Jorge Amaury Maia Nunes, de 66 anos – que dá nome à universidade – morreu de Covid-19 no dia 2 de julho. O docente estava internado havia 47 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Leia também:
Codhab convoca 300 candidatos a moradia no São Sebastião

Estiveram presentes na cerimônia de sanção o deputado federal Júlio César (PROS), a deputada distrital Arlete Sampaio (PT) e o deputado distrital Claudio Abrantes (PDT). “O DF enfim caminha para sanar uma situação que o deixava no final da fila do desenvolvimento, da educação. Hoje, praticamente todas as Unidades Federativas possuem universidades estaduais”, disse Abrantes. Os secretários de Economia, André Clemente, e de Educação, Hélvia Paranaguá, também acompanharam a sanção.

Print Friendly, PDF & Email