Indefinição sobre resultado das eleições dos EUA provocam silêncio de Bolsonaro

Bolsonaro prefere manter o silêncio sobre vitória de Biden até que o resultado seja proclamado

Após a vitória do presidente eleito Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro continua em silêncio e optou por não emitir nenhuma mensagem sobre a vitória do presidente democrata.

Apesar de o cenário eleitoral mostrar que Joe Biden é o novo presidente dos Estados Unidos, a contagem de votos ainda não se encerrou, e sob forte alegação de fraude eleitoral pelo presidente Donald Trump, Jair Bolsonaro não quer se precipitar e falar sobre a derrota do republicano.

O presidente norte-americano disse que irá contestar a contagem de votos e acionar a Suprema Corte dos Estados Unidos e o Judiciário de alguns estados. por isso Bolsonaro resolveu evitar um posicionamento oficial do Palácio do Planalto até que a Casa Branca reconheça oficialmente o resultado das eleições.

Para os aliados do presidente no Congresso a postura de Jair Bolsonaro até o momento tem sido a mais correta. Enquanto não houver a confirmação sobre o cenário político dos Estados Unidos o melhor a se fazer é manter o silêncio. Segundo o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), “As eleições não terminaram ainda. Nós temos de ter respeito ao processo. Existem ações judiciais que foram ajuizadas pelo lado republicano que merecem apreciação”.

 A deputada Bia Kicis (PSL-DF) diz que o governo brasileiro precisa aguardar para saber se realmente houve fraude nas eleições americanas. “Até lá, toda manifestação, inclusive de autoridades brasileiras, é precipitada e desrespeita a Justiça e o povo americano”, disse.

Para Bibo Nunes (PSL-RS): “Um posicionamento oficial só deve vir com o resultado oficial. Um presidente tem de se portar dessa maneira, é o que a liturgia do cargo exige. Ele não pode sair oficializando algo que não está oficializado ainda”.

Bibo Nunes acredita que se os resultados se mantiverem haverá um distanciamento entre os presidentes. “Acredito que, com o tempo, o relacionamento será normal, pois o maior parceiro dos Estados na América Latina é o Brasil. Essa parceria tem de continuar, porque é bom para ambos os países. Depois de passado o momento de empolgação eleitoral, tudo vai para o seu devido lugar, onde quem manda é a razão”

Print Friendly, PDF & Email