Instiuto Butantan inicia produção da CoronaVac no Brasil

Governo de São Paulo informa que o Instituto Butantan iniciou o envase da vacina contra o coronavírus produzida pelo laboratório chinês Sinovac

O governo de São Paulo disse nesta quinta-feira (10), que o Instituto Butantan iniciou a produção da CoronaVac, desenvolvida em parceria entre o Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac.

“O Instituto Butantan iniciou ontem a produção da vacina do Butantan, a CoronaVac, aqui na sede do Butantan em São Paulo. Esta é a produção brasileira do Butantan, que está produzindo aqui com insumos que vieram da Sinovac, a vacina do Brasil, a vacina do Butantan. Um momento histórico que orgulha a todos nós brasileiros”, disse o governador durante coletiva de imprensa na sede do Butantan.

Segundo o governo paulista, o processo começou a ser realizado nessa quarta-feira (9), na fábrica do instituto, que tem 1.880 metros quadrados. De acordo com o diretor da entidade, Dimas Covas, a fábrica vai passar a funcionar 24 horas por dia e serão contratados mais de 120 técnicos.

Leia também:
Número de mortes por Covid-19 nas últimas 24h é o menor em 23 dias

Dória também informou que os Executivos de 12 Estados, entre eles São Paulo, e de 912 municípios, já formalizaram seu interesse em adquirir doses da vacina.

“Hoje 12 estados do país, incluindo São Paulo, já formalizaram a solicitação para a vacina do Butantan. E 912 municípios de todo o Brasil também já demonstraram interesse da mesma forma, formalmente, para obter a vacina do Instituto Butantan para a imunização dos seus trabalhadores de saúde”, afirmou Doria durante a coletiva.

“Por que iniciar a vacinação em março, como foi anunciado pelo Ministério da Saúde, se podemos iniciar em janeiro, de forma segura e eficiente? ”, indagou João Doria, fazendo referência ao calendário de imunização apresentado pelo Ministério da Saúde na semana anterior.

Leia também:
Número de mortes por Covid-19 nas últimas 24h é o menor em 23 dias

A expectativa é de que o Butantan consiga envasar entre 600 mil a um milhão de doses por dia. Até janeiro, 40 mi de doses da vacina deverão ser envasadas no local.

Plano de Vacinação

De acordo com o governador de São Paulo, a primeira fase da vacinação vai durar nove semanas, até o dia 28 de março. Serão vacinados 1,5 mi de profissionais da saúde, e depois 7,5 mi de pessoas acima de 60 anos. Para que isso aconteça serão necessários 18 mi de doses do imunizante.

Leia também:
Número de mortes por Covid-19 nas últimas 24h é o menor em 23 dias

Anvisa

O imunizante ainda não foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Também não foram concluídos os testes de eficiência e segurança, a chamada fase 3.

Para que a vacina comece a ser distribuída, é necessário que o Instinto Butantan envie um relatório à Agência e que o órgão aprove a vacina.

De acordo com o Instituto, a previsão é que as informações sejam enviadas ainda em dezembro.

Print Friendly, PDF & Email