Jair Bolsonaro afirma que R$ 89 mil em cheques, depositados na conta da primeira-dama, eram para ele

Em entrevista Jair Bolsonaro afirma que R$89 mil em cheques depositados, pelo ex-assessor Fabrício Queiroz, na conta de Michelle Bolsonaro eram para ele

Nesta terça-feira (15) em entrevista ao jornalista Datena, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os cheques depositados na conta de sua esposa, Michelle Bolsonaro, eram destinados a ele. Em agosto deste ano, o ex-assessor Fabrício Queiroz e a mulher dele, Márcia Aguiar, depositaram R$ 89 mil em cheques na conta bancária da primeira-dama.

Bolsonaro afirmou não ter sido a primeira vez que emprestou dinheiro e foi pago em cheques, “Vamos apurar? Vamos, mas cada um com a sua devida estatura, e não massacrar o tempo todo, como massacram a minha esposa, quando falei desde o começo que aqueles cheques do Queiroz ao longo de dez anos foram para mim, não foram para ela. Eu dava 89… divide aí, Datena. R$ 89 mil por dez anos, dá em torno de R$ 750 por mês. Isso é propina? Pelo amor de Deus! Pelo amor de Deus! R$ 750 por mês. O Queiroz pagava conta minha também. Era de confiança, tá?”, disse o presidente.

Jair Bolsonaro em entrevista disse ainda que Queiroz e sua esposa estão sendo injustiçados e que todos tentam atingi-lo o tempo todo. Bolsonaro tocou no assunto sobre a cobertura da imprensa sobre o caso das “rachadinhas”, que envolve o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ)

“Desde quando instaurou o processo, eu não tenho conversado com ele. Agora, ele tá sendo injustiçado também. Por que? Tem que ser investigado e dar a devida pena se for culpado, e não prender a esposa… Quebraram o sigilo de mais de 90 pessoas, não tem cabimento isso. Parece que o maior bandido da face da terra é o senhor Flávio Bolsonaro. Se tem a sua culpa, que se apure e se puna, mas não dessa forma, tentando me atingir politicamente em todo o momento” informou Bolsonaro.

Quando o presidente foi questionado sobre o assunto em agosto deste ano, ameaçou encher a boca do repórter de “porrada”. A reportagem da revista Crusoé, que explanou a quebra de sigilo bancário de Fabrício Queiroz, mostra que foram depositados 21 cheques na conta de Michelle, entre 2011 e 2016, totalizando R$ 72 mil.

Print Friendly, PDF & Email