João Doria oferece 4 mi de doses da vacina CoronaVac a outros estados e municípios

Estados e municípios que solicitarem imunizante ao governo de SP receberão as doses até o limite de 4 mi. São Paulo é o primeiro estado a iniciar vacinação que pretende atingir 9 mi de pessoas, que não se restringirá a moradores do estado

O governo de São Paulo informou nesta segunda-feira (7) que o plano de vacinação com a CoronaVac começa no dia 25 de janeiro de 2021. Os primeiros a receber as doses da vacina serão profissionais de saúde e pessoas com mais de 60 anos, além de indígenas e quilombolas. A vacina é produzida pelo laboratório Chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. João Doria (PSDB), governador de São Paulo, afirmou que vai disponibilizar 4 mi de doses do imunizante ao estados e municípios que solicitarem. Segundo Doria, oito estados manifestaram interesse.

“Nós temos já oito estados do país que solicitaram a vacina CoronaVac ao Instituto Butantan. Alguns governadores vieram até aqui, inclusive, tratar deste assunto conosco. E para citar dois prefeitos entre muitos, mas apenas homenageando o prefeito de Curitiba, que solicitou e já anunciou, inclusive nas suas redes, que fará a aquisição da vacina para imunização dos curitibanos; e o novo prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, me telefonou hoje pela manhã, dizendo que o Rio de Janeiro não vai ficar aguardando o programa de vacinação para o mês de março, desejará vacinar o mais breve possível iniciando pelos profissionais de saúde do Rio de Janeiro. E assim dezenas e dezenas de outros prefeitos de outras cidades, não apenas de estados vizinhos, mas também de estados mais remotos em nosso país”, afirmou Doria.

Doria disse que não fará fiscalização e quem quiser poderá ser vacinado. “Qualquer brasileiro que estiver em São Paulo e pedir a vacina receberá gratuitamente. Não precisará comprovar residência. Nós fazemos parte do Brasil, aqui vacinaremos todos”.

Nas últimas semanas, o governador vem criticando o plano preliminar do governo federal de começar uma possível imunização dos brasileiros em março de 2021. Apesar de ter uma data pré-estabelecida, o Ministério da Saúde ainda não incluiu a CoronaVac na estratégia nacional de imunização.

Leia também:
Covid-19: DF confirma primeiros casos da variante Delta

Plano de vacinação

De acordo com o governo, 9 mi de pessoas serão vacinadas nessa primeira fase, entre 25 de janeiro e 28 de março de 2021.

Segundo o governo, serão montados 10 mil postos de vacinação nos 645 municípios de São Paulo, em farmácias, escolas, terminais de ônibus, além de unidades de drive thru. A imunização será realizada por 54 mil profissionais, que utilizarão 27 mi de seringas e agulhas.

“O público-alvo da primeira fase da vacinação são as pessoas com 60 anos ou mais que correspondem a 7,5 milhões de pessoas, trabalhadores de saúde, que são os nossos grandes agentes na linha de frente salvando vidas, quilombolas, indígenas, que são 1,5 milhões de pessoas e a prioridade são os trabalhadores de saúde, num total de 9 milhões de pessoas”, disse Regiane de Paula, coordenadora do controle de doenças da Secretaria Estadual da Saúde.

Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde, disse que o estado tem a quantidade necessária do imunizante para garantir que o programa ocorra no prazo previsto.

“Nós iniciaremos a campanha vacinal agora no dia 25 de janeiro e temos, sim, esses insumos, agulhas e seringas para vacinar esse público. Dessa maneira, não será necessário fazer aquisições, aguardo de licitações, porque nós já disponibilizamos em nosso estoque desses materiais”, afirmou o secretário.

Cronograma de Vacinação

Leia também:
DF tem mais de um milhão e meio de vacinados contra a Covid-19

Dose 1

25/1 – Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas

8/2 – Pessoas com 75 anos ou mais

15/2 – Pessoas com 70 a 74 anos

22/2 – Pessoas com 65 a 69 anos

1º/3 – Pessoas com 60 a 64 anos

Dose 2

15/2 – Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas

1º/3 – Pessoas com 75 anos ou mais

8/3 – Pessoas com 70 a 74 anos

15/3 – Pessoas com 65 a 69 anos

22/3 – Pessoas com 60 a 64 anos

Leia também:
DF tem mais de um milhão e meio de vacinados contra a Covid-19

Dados

Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa, o país já registou 177.006 mortes em decorrência do vírus confirmadas até as 13h00 desta segunda-feira (7).

No domingo (6), ás 20h00, o balanço indicou: 176.962 mortes por Covid-19 desde o começo da pandemia, 321 nas últimas 24 horas. A média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 588.

Print Friendly, PDF & Email