Joe Biden toma posse e pede união do país para enfrentar os desafios como a Covid-19

O novo coronavírus, o terrorismo doméstico e o racismo foram apontados por Biden em seu discurso de posse como desafios a serem enfrentados. O novo presidente pediu que a oposição atue pacificamente

Nesta quarta-feira (20), Joe Biden tomou posse como o novo presidente dos Estados Unidos. Em seu primeiro discurso como presidente, Biden exaltou a união e convocou todo o país a enfrentar os desafios que assolam a nação, como a pandemia de Covid-19, o terrorismo doméstico e o racismo. A posse aconteceu sob a proteção de 25 mil homens e mulheres da Guarda Nacional.

“Falar de união pode soar bobo neste momento. As forças que nos dividem são profundas, mas não são novas. Nossa história tem sido uma luta constante entre o ideal americano e a terrível realidade do racismo, medo, demonização… Tudo isso nos separou por muito tempo. A batalha é perene e a vitória nunca é garantida. Mas nossos melhores anjos sempre prevaleceram, se juntaram para avançarmos. E podemos fazer isso agora. A história, a fé e a razão mostram o caminho”, afirmou. “Sem união não há paz. Só ressentimento e medo”, acrescentou.

Biden falou sobre a invasão ao Capitólio por apoiadores de Donald Trump, que ocorreu no dia 6 de janeiro e prometeu que isso não voltará a acontecer nunca. O presidente agradeceu quem votou nele e falou também diretamente com quem não o apoiou. “O direito de discordar em paz é a maior força desse país. Mas isso [a discordância] não precisa levar à desunião. Eu serei o presidente de todos os americanos. Vou lutar por todos”.

Além disso, Biden pediu um minuto de silêncio às vítimas da Covid-19.  “É hora da coragem, há muito a fazer. Eu prometo a vocês que vamos domar essa crise e fazer nossas obrigações para levar um mundo melhor a nossos filhos”.

Ele prometeu defender a constituição do país e reforçar a história americana de esperança, decência, dignidade, amor e bondade. “Que essa seja a nossa inspiração e que as próximas gerações nos digam que fizemos o que precisava ser feito”.

No lugar de 200 mil pessoas e convidados que costumavam assistir à cerimônia nacional nos anos anteriores, 200 mil bandeiras americanas foram colocadas no gramado local. Entre os convidados presentes na posse estavam os ex-presidentes Barack Obama, Bill Clinton e George W. Bush.

Joe Biden foi eleito com 306 votos no colégio Eleitoral, contra 232 votos de Trump, em dezembro de 2020, na votação realizada pelos delegados eleitos pelos estados em voto popular em novembro do mesmo ano.

Trump

Donald Trump fez sua última aparição em Washington DC como presidente na manhã desta quarta-feira (20). Em seu discurso de despedida, Trump falou em “números impressionantes” na economia e “milagre” no desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 em nove meses.

“Eu sempre lutarei por vocês. Voltaremos de alguma forma”, completou, diante de um público restrito que acompanhou seu embarque. “Nos veremos em breve. Muito obrigado”, disse.

Trump não quis participar da posse, como é tradicional na transição de poder.

Print Friendly, PDF & Email