O candidato à Presidência da República, Ciro Gomes, do PDT, discursa durante o evento, Diálogos Eleitor, realizado pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs).

“Lula é o maior corruptor da história brasileira”, diz Ciro Gomes

“A probabilidade de se dar o segundo turno entre mim e o Lula está crescendo”, afirma Ciro em entrevista ao Valor Econômico

Ciro Gomes (PDT) afirmou que o seu alvo na corrida eleitoral de 2022 é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).  “Eu vou pra cima dele [Lula], é o maior corruptor da história brasileira”, disse em entrevista publicado pelo jornal Valor Econômico nesta segunda-feira (17). Ciro foi ministro da Integração Nacional de 2003 a 2006, durante o mandato de Lula como presidente da República, entre 2003 e 2010.

Leia também:
Bolsonaro volta a responsabilizar os governadores pelos preços altos dos combustíveis: “ganância”

Questionado sobre uma maneira de vencer o atual presidente, Jair Bolsonaro (sem partido), nas eleições gerais de 2022. Ciro afirmou que vencerá Bolsonaro no pleito.

“Quem vai ter que se explicar agora é o Lula, porque vou para cima dele (…) Vamos derrotar Bolsonaro e vou propor mudança. Lula é parte central da corrupção. Lula é o maior corruptor da história moderna brasileira. E não aprendeu nada. Fica na lambança, prometendo a volta de um passado idílico que é mentira”, afirmou ao Valor.

Ele também traçou um cenário mais geral a respeito do pleito do ano que vem. Ciro Gomes afirmou que pode disputar um segundo turno contra Lula em 2022 e também analisou outros possíveis candidatos, como o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro (sem partido), o apresentador Luciano Huck (sem partido) e o governador de São Paulo João Doria (PSDB).


“A probabilidade de se dar o segundo turno entre mim e o Lula está crescendo. Acho que Moro e Huck não são candidatos. Nem Doria. Se ele for, será fragilizado porque está muito mal em São Paulo e nunca teve entrada no Brasil. O único organizado, com o partido harmônico, sem confusão, sou eu”, também disse Ciro Gomes.

Print Friendly, PDF & Email