O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante sua cerimônia de posse no Palácio do Planalto.

Ministro da Saúde afirma que imunização contra covid-19 começa quatro dias após autorização da Anvisa

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse durante evento em Manaus que a prioridade do governo é vacinar o Brasil inteiro

Nesta segunda-feira (11), durante evento para apresentação do Plano Estratégico de Enfrentamento da Covid-19 no Amazonas, em Manaus, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que no momento em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso emergencial de alguma vacina, após três ou quatro dias serão iniciadas as imunizações.

“No primeiro dia que chegar a vacina ou que a autorização [pela Anvisa] for feita, a partir do terceiro ou quarto dia [a vacina] já estará nos estados e municípios para iniciar a vacinação”, disse Pazuello no evento.

Eduardo Pazuello disse ainda que cada Estado tem seu proprio plano de imunização, “No PNI [Plano Nacional de Imunização], cabe ao ministério fazer chegar [as vacinas] aos estados e municípios. O plano logístico é individualizado por estado, por isso a gente fala que cada estado tem seu próprio plano. O plano do município é de execução”, afirmou.

Uso emergencial

Na última sexta-feira, 8, o Instituto Butantan e a Fiocruz submeteram à Anvisa o pedido de uso emergencial de suas respectivas vacinas contra a Covid-19. No Brasil, o Butantan é responsável pela produção da vacina CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac. Já a Fiocruz é responsável pela vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca.

“todos os estados receberão simultaneamente as vacinas, no mesmo dia”. “A vacinação vai começar no dia D, na hora H, no Brasil. A prioridade já está dada. A prioridade é o Brasil todo”, afirmou.

Print Friendly, PDF & Email