(Brasília - DF, 06/08/2020) Palavras do Ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello. Foto: Carolina Antunes/PR

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirma que vacinação contra a covid-19 começa até o fim de janeiro

O ministro da Saúde disse que a vacinação irá começar quatro dias após a autorização da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Em pronunciamento feito em Manaus, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a vacinação contra a covid-19 começará ainda neste mês de janeiro. Disse ainda que a vacina será distribuída de forma simultânea em todos os Estados, levando em consideração a proporção da população de cada local.

O ministro mostrou apoio ao povo manauara, “Nós, em Manaus, temos que nos cuidar. Temos que seguir as orientações dos gestores. Não adianta lutar contra isso. A minha família está em Manaus, todos sabem disso. Minha filha está em Manaus. Então, quero deixar claro pra todos, que nós não estamos nem um pouco afastados de viver o problema de Manaus, estamos dentro do problema com vocês. Contem comigo e com o presidente da República”, disse Pazuello.

Na coletiva, Pazuello não deixou claro em que dia as imunizações iriam começar. Anteriormente ele disse que a data mais provável de que a vacinação aconteça é no dia 20 de janeiro. Segundo o general das Forças Armadas, serão distribuídas cerca de oito milhões de doses, três ou quatro dias após a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso do imunizante.

Os imunizantes distribuídos são da AstraZeneca/Oxford, em parceria com a Fiocruz, e da Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo. Serão seis milhões de doses da CoronaVac, e dois milhões de doses da vacina de Oxford.

O ministro afirmou que hoje (13), uma aeronave está partindo de Guarulhos à Índia para buscar 2 milhões de doses da vacina de Oxford. “Hoje, decola o avião para ir buscar as duas milhões de doses da Índia. É o tempo de viajar, apanhar e trazer. Já está com o documento de exportação pronto”, disse.

O ministro ressaltou que após a vacinação é necessário que a população espere um tempo antes de fazer grandes aglomerações,  “A literatura fala de 30 a 60 dias. Não é tomar a vacina no dia 20, e no dia 22 estar na rua fazendo festa. Nem vai resolver o problema de estrutura e tratamento precoce em Manaus. Nós não temos 30 dias, 60 dias, para esperar a imunização total. A vacina faz parte de uma estratégia, mas a estratégia principal é o que eu estou fazendo aqui, é o tratamento da Unidade Básica de Saúde (UBS). É o diagnóstico clínico feito pelo médico. O médico não pode se furtar de fazer o diagnóstico clínico”, disse.

Atraso

Pazuello justificou a demora para iniciar a vacinação dando o exemplo do Japão, que só comerá as imunizações em março, “O Japão, que é referência no mundo em termos de desenvolvimento, primeiro mundo, só começa a vacinar em março”, afirmou.

Disse ainda que o Brasil é o País que mais se imuniza no mundo todo, “Nós somos o país que mais se imuniza no mundo. Sempre fomos. Nós vacinamos 300 milhões de doses por ano, e vamos fazer igual com a vacina contra covid-19. O resto é apenas pressão política, partidária, de bandeiras, de interesses particulares. Não saímos do nosso rumo nenhum minuto”, completou.

Print Friendly, PDF & Email