Ministro da Saúde promete 15 milhões de doses da vacina de Oxford a partir de janeiro

A afirmação foi feita pelo ministro Eduardo Pazuello durante audiência pública no Congresso Nacional. O general afirmou que o Brasil já tem um plano de vacinação e que na primeira fase da vacina pessoas a partir de 75 anos, além de profissionais de saúde e indígenas, serão contemplados

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quarta-feira (2) que o Brasil deve receber 15 mi de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca. O imunizante, intitulado AZD 1222, registrou eficácia de até 90% quando aplicado em dose menor, tem custo mais baixo de produção e armazenamento prático, se comparado a iniciativas semelhantes. A afirmação foi feita pelo general durante a audiência pública em comissão do Congresso Nacional que acompanha as ações do governo relacionadas à crise do novo coronavírus. As vacinas devem chegar entre janeiro e fevereiro de 2021.

“Eu ressalto, para deixar claro, que em janeiro e fevereiro já começam a chegar 15 milhões de doses dessa encomenda tecnológica da AstraZeneca/Oxford com a Fiocruz. E, no primeiro semestre, chegamos a 100 milhões de doses. No segundo semestre, já com a tecnologia transferida, pronta, nós poderemos produzir com a Fiocruz até 160 milhões de doses a mais — só aí são 260 milhões de doses”, ressaltou Pazuello.

“Quando a gente chega ao final das negociações e vai para cronograma de entrega, fabricação, os números são pífios. Números de grande quantidade, realmente, se reduzem a uma, duas ou três ideias. A maioria fica com números muito pequenos para o nosso país”, explicou o ministro.

Planos de vacinação

Eduardo Pazuello afirmou que o Brasil já está adiantado no planejamento da vacinação contra a Covid-19. “O Brasil possui o maior programa de imunização do mundo, que é o PNI (Programa Nacional de Imunização), e eu vejo novas discussões sobre o plano de imunização para a Covid-19. Temos a maior expertise do mundo para fazer isso e nós estamos fazendo com tranquilidade, com 10 grupos setoriais trabalhando, ouvindo todo mundo. Podem ficar tranquilos, nós estamos acima do momento, estamos adiantados”.

Na terça-feira (1), o Ministério da Saúde divulgou quais os grupos que serão contemplados com as doses de uma futura vacina contra o novo coronavírus. Em um primeiro momento, serão vacinados os idosos a partir de 75 anos, pessoas com mais de 60 anos e que vivem em asilos ou instituições psiquiátricas, profissionais da saúde e indígenas.

Em um segundo momento, serão vacinadas as pessoas de 60 a 74 anos. A terceira fase prevê a imunização de pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para o agravamento da doença.

A quarta e última fase deve abranger professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Print Friendly, PDF & Email