Reprodução

Nas últimas 24 horas, Brasil registra quase mil mortes por covid-19

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) informou que os número estão alcançando a mesma quantidade de mortes que o pico da doença

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), informou nesta terça-feira (15), que os número de mortos em decorrência da covid-19 voltaram a subir, mais de 964 pessoas morreram nas últimas 24 horas. Os números se aproximam do pico da doença, no dia 30 de setembro foram registrados 1.031 mortes.

Os motivos podem ser atribuídos ao relaxamento das medidas restritivas, uso incorreto de máscara e não uso de álcool em gel. Os números de casos no país desde o começo da pandemia somam 182.799 mortes da covid-19 e 6.970.034 casos positivos. Em relação ao número de casos positivos a média também se aproxima do pico da doença, atualmente são 42.148 registros, no dia 29 de julho foram 46.536 casos.

São Paulo é o estado que lidera os números totais da pandemia, com 1.341.428 contaminações confirmadas. Na sequência, aparecem Minas Gerais com 473.225 casos, Bahia (451.240) e Santa Catarina (435.547). 

Taxa de transmissão

Novo levantamento do Imperial College de Londres, a taxa de transmissão (Rt) está em 1,13, ou seja, um grupo de 100 doentes é capaz de infectar outras 113 pessoas saudáveis. Após voltar aos níveis de descontrole, o índice tem oscilado nas últimas semanas. Com o fechamento da semana 49, a Rt foi de 1,14. Na semana anterior estava em 1,02.

O Brasil enfrenta a 20ª situação mais grave. Dos países latino-americanos, somente Guatemala, Panamá e Venezuela têm taxas mais altas do que a brasileira, com Rt em 1,57; 1,21; e 1,21, respectivamente. As altas taxas de contágio vem sempre acompanhadas de novas mortes, o cuidado desse ser redobrado.

Print Friendly, PDF & Email