Segunda, 22 de Julho de 2024
22°

Tempo limpo

Brasília, DF

Geral 4ª fase da Operação

Polícia Federal Desarticula Rede Criminosa em Nova Fase da Operação Última Milha

Grupo é acusado de monitorar ilegalmente autoridades e disseminar fake news usando sistemas da Abin

11/07/2024 às 09h42
Por: Agência 2CNews
Compartilhe:
Polícia Federal/Divulgação
Polícia Federal/Divulgação

Nesta quinta-feira (11), a Polícia Federal (PF) deflagrou a 4ª fase da Operação Última Milha, visando desarticular uma organização criminosa que monitorava ilegalmente autoridades públicas e produzia notícias falsas utilizando sistemas da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A operação incluiu a execução de cinco mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão nas cidades de Brasília, Curitiba, Juiz de Fora (MG), Salvador e São Paulo, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Continua após a publicidade

De acordo com a Polícia Federal, o grupo criminoso criou perfis falsos e divulgou informações sabidamente falsas, afetando membros dos Três Poderes e jornalistas. Além disso, a organização acessou ilegalmente computadores, aparelhos de telefonia e infraestrutura de telecomunicações para monitorar agentes públicos. Esses atos configuram graves violações legais e éticas, ressaltando a necessidade de intervenção urgente.

Os investigados podem ser acusados de crimes como organização criminosa, tentativa de abolição do Estado Democrático de Direito, interceptação clandestina de comunicações e invasão de dispositivo informático alheio. A operação, iniciada em outubro do ano passado, já investigava o uso indevido de sistemas de geolocalização de dispositivos móveis sem autorização judicial por servidores da Abin. Esse software intrusivo permitia a invasão reiterada da rede de telefonia brasileira, utilizando recursos públicos.

A Operação Última Milha destaca a seriedade das infrações cometidas, sublinhando a importância de proteger a integridade das comunicações e informações pessoais. As ações da Polícia Federal buscam restaurar a segurança e a confiança nas instituições públicas, enfrentando os desafios impostos pela criminalidade tecnológica e pela disseminação de desinformação.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários